Ruy Carneiro aconselha Rômulo a não sair do PSDB “atirando”

O deputado federal Ruy Carneiro (PSDB) comentou hoje a desfiliação anunciada do vice-governador da Paraíba, Rômulo Gouveia (PSDB) para migração ao novo partido, PSD. Sem querer entrar no confronto direto com o colega, Ruy não se furtou, contudo, a demonstrar sua insatisfação com a decisão dele. Para o parlamentar, apesar da crise intensa verificada nas eleições do ano passado, a inclusão de Rômulo na chapa de Ricardo Coutinho (PSB) se deu por causa da influência do ninho tucano no cenário político estadual:

– Rômulo veio a ser vice-governador pelos méritos dele, pela sua história de trabalho em Campina Grande, mas pela indicação do partido. Houve uma composição com o PSB em circunstâncias um tanto complicadas em que uma ala queria seguir com Ricardo e outra não. Mas, o partido o indicou. Hoje, ele toma essa decisão. Fico triste com ela, mas é um direito dele. Acho, contudo, que ele deveria sair sem atirar porque, inclusive, a época oportuna para conversar todas essas questões seria agora, na discussão sobre o diretório estadual do PSDB. Se ele tivesse saído depois disso, seria diferente. Sair antes eu acho precipitado.

Na ótica de Ruy, muitas lideranças e detentores de mandato têm como sonho "ter seu próprio partido":

– Não estou me referindo a Rômulo, mas falando de forma geral, é sempre muito conveniente às pessoas terem um partido porque quando vão tratar de apoio político numa eleição, expõem seu peso pessoal e levam junto um partido. É como alguns amigos já comentaram: Quem não quer ter seu próprio partido? Essa oportunidade Rômulo está tendo. Ninguém sabe se o partido vai crescer ou não. O próprio presidente do PSD diz que não é de esquerda, direita ou centro. Alguns fatos são estranhos, mas eu não devo julgar porque eu vou ficar no PSDB.

A entrevista de Ruy Carneiro foi concedida a Nonato Guedes na CBN João Pessoa.

TAGS

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.