Roseana acusa sindicato de esticar greve para obter mídia

Um movimento político. É assim que a secretária de Saúde de João Pessoa define a greve dos médicos dos hospitais municipais, iniciada no dia 4 de abril. Para Roseana Meira, o movimento ainda não foi encerrado por causa da resistência do Sindicato dos Médicos do Estado da Paraíba, presidido por Tarcísio Campos. "Toda greve traz prejuízos à população. Não adianta a gente não assumir de frente o problema. Quanto à negociação, o ponto principal é que quem está à frente desse movimento, o sindicato, não quer encerrá-lo porque está precisando de mídia. É um movimento político capitaneado pela presidência do sindicato, que já colocou a entidade em um determinado momento a serviço da campanha para governador de José Maranhão, o que foi lastimável. É um tipo de atitude nada cidadã porque não leva em consideração o prejuízo aos pacientes e suspende cirurgias de urgência. Na assembleia, o presidente do sindicato disse que os médicos iam mostrar que eram machos e ganhar o movimento.

 
A greve dos médicos teve sua ilegalidade pedida pela Procuradoria Geral do Município. Na última sexta-feira, 8, a juíza Maria das Graças Morais Guedes determinou o retorno ao trabalho de 50% dos profissionais médicos sob pena de multa diária no valor de R$ 20 mil.
 
Roseana Meira acrescentou que o Município está disposto a negociar, embora o sindicato tenha decidido não conversar mais com a gestora e interceder junto ao prefeito Luciano Agra para tentar solucionar a crise. Uma das alegações é a insatisfação com as críticas feitas por Roseana à entidade que representa os médicos. A Secretaria, acusada também de desqualificar a categoria, negou que tenha feito isso: "Eu quero dizer que tenho respeito aos médicos. Isso não é uma disputa de categoria. Em todos os meses de março nós fazemos a negociação com a categoria. Mas, há interesses políticos por trás dessa greve. Nós estamos abertos a negociar, mas as bases que foram colocadas pelo sindicato não são próprias de quem queira negociar". 
 

TAGS

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.