Romero Marcelo chora ao receber cidadania oferecida por Trocolli Júnior

O desembargador Ricardo Marcelo se emocionou e chegou várias vezes a chorar na noite de ontem ao ser homenageado na Assembleia Legislativa. O magistrado recebeu o título de Cidadão Paraibano graças a uma proposta do deputado estadual Trocolli Júnior (PMDB). Em seu discurso de agradecimento, Romero lembrou de momentos marcantes e difíceis de sua trajetória pessoal e profissional e disse que a homenagem prestada por Trocolli oficializava o que ele sentia há décadas:

"Sou paraibano há quarenta anos, quando aos 19 anos cheguei a João Pessoa para servir no Grupamento de Engenharia. Eu deixara meu Estado, optara por um concurso para as Forças Armadas porque havia sofrido uma grande decepção naquilo que eu almejava que era ser oficial de polícia em Pernambuco. Mas, não quero me deter nesse detalhe porque a homenagem é um momento de alegria e não quero falar de minhas mágoas", disse ele, indo às lágrimas.

Romero contou sua trajetória, a aprovação no curso de Direito, a transferência determinada pelo exército para o Acre e o regresso a João Pessoa em 1976. Três anos depois, ele concluiu o curso e deixou o exército, passando a atuar como advogado.

"Eu consegui reverter meu ideal de vida que era ser policial. Todos meus objetivos foram conseguidos pelo estudo. Mas, a posição que eu pretendia, dependia de uma nomeação e quis o destino que eu fosse designado delegado de polícia. Foi um período breve, mas bastante tumultuado. Eu tive que deixar a polícia, fui exonerado do cargo e esse foi um momento muito dificil de minha vida. Aquelas pessoas a quem eu contrariei, queriam que eu deixasse a Paraíba. Todas as portas me foram fechadas. Uma noite meu pai me ligou e disse que eu deveria voltar a Pernambuco. Mas, eu disse que a minha terra era a Paraíba e que eu precisava vencer aqui. Foi essa minha decisão. Anos depois, voltei à polícia civil por concurso público, fui delegado de polícia e fiz o concurso para a magistratura. Quando passei, o que eu queria era ser delegado e não juiz. Em segundo, eu não poderia me separar do meu grande amor, que era João Pessoa. Mas, o desejo de meu pai de me ver magistrado, me fez renunciar àquele meu desejo de ser policial. Assumi a magistratura em Ingá. Com o tempo, passei a amar a magistratura".

Já o deputado Trocolli Júnior (PMDB) elogiou Romero Marcelo e reconheceu que o desembargador tem a paraibanidade no sangue: "A Paraíba soube receber de braços abertos esse digno cidadão pernambucano que a partir de hoje passa também a ser paraibano. Romero Marcelo sempre se destacou pela aprovação nos concursos públicos que prestou, tem uma inteligência privilegiada, formação sólida e permanente cultura jurídica", disse o parlamentar.

Muitas autoridades prestigiaram a sessão especial que concedeu o título de cidadão paraibano a Romero Marcelo. Estiveram no plenário José Mariz o novo conselheiro do TCE, Arthur Cunha Lima; o juiz Carlos Neves da Franca Neto, o secretário da Controladoria Geral do Estado, Roosevelt Vita; e o presidente da Associação dos Magistrados da Paraíba, Antonio Silveira Neto, entre outros.
 

TAGS

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.