Romero apresentará projeto criando a Zona Franca do Nordeste

 O deputado federal Romero Rodrigues (PSDB) disse que um dos seus primeiros projetos a apresentar na Câmara Federal, será a implantação da Zona Franca do Nordeste, tendo como base principalmente a Paraíba e, particularmente, Campina Grande.

 
Ele afirmou ser muito importante esse empreendimento, e certamente contará com o apoio de deputados, senadores, prefeitos, governadores além, e, principalmente da população para a implementação da iniciativa da maior importância para o desenvolvimento do Nordeste e da Paraíba, em especial. Espera contar com o apoio das organizações não governamentais para a concretização desse benefício para gerar milhares de empregos e desenvolver a região como um todo. O parlamentar destaca a importância e o potencial da Paraíba, notadamente Campina Grande, com várias universidades, diversas indústrias e a força trabalhadora de seu povo.
 
Romero tem como espelho a Zona Franca de Manaus que é um centro financeiro (o principal da região norte do Brasil) implantado pelo governo brasileiro objetivando viabilizar uma base econômica na Amazônia Ocidental, promover a melhor integração produtiva e social dessa região ao país, garantindo a soberania nacional sobre suas fronteiras. A mais bem-sucedida estratégia de desenvolvimento regional, o modelo leva à região de sua abrangência (estados da Amazônia Ocidental: Acre, Amazonas, Rondônia e Roraima e as cidades de Macapá e Santana, no Amapá) desenvolvimento econômico aliado à proteção ambiental, proporcionando melhor qualidade de vida às suas populações.
 
A ZFM foi criada em 1967 com o objetivo de estimular a industrialização da cidade e sua área adjacente, bem como ampliar seu mercado de trabalho. Trata-se de uma área de livre comércio, em que não são cobrados impostos de importação sobre os produtos comprados no exterior. Além de contribuir para o desenvolvimento do comércio local, a isenção alfandegária favoreceu a formação de um expressivo distrito industrial junto à capital do Amazonas. A maioria de suas indústrias é também montadora de produtos obtidos com tecnologia estrangeira.
 
A Zona Franca de Manaus apresenta Pólo Comercial, Pólo Industrial e Pólo Agropecuário. O Pólo Industrial é considerado a base de sustentação da ZFM. O Pólo Industrial de Manaus possui mais de 450 indústrias de alta tecnologia gerando mais de meio milhão de empregos, diretos e indiretos. O Pólo Agropecuário abriga projetos voltados a atividades de produção de alimentos, agroindústria, piscicultura, turismo, beneficiamento de madeira, entre outras.
 
A Zona Franca é área delimitada no interior de um país e beneficiada com incentivos fiscais e tarifas alfandegárias reduzidas ou ausentes. Seu objetivo é estimular o comércio e acelerar o desenvolvimento industrial de uma região. A Zona Franca de Manaus, criada em 1967 é fiscalizada pela Suframa, atraiu para aquela área amazônica muitas indústrias, sobretudo do ramo eletrônico avançado, que se beneficiam das facilidades de importação de peças e componentes de aparelhos eletroeletrônicos.
 

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.