Rodrigo Maia lança candidatura em JP, critica Temer e fala sobre eleições estaduais

Em entrevista coletiva na manhã desta sexta-feira (16) em João Pessoa, onde lançou sua pré-candidatura para a Presidência da República, o presidente da Câmara dos Deputados Rodrigo Maia (DEM), garantiu que não haverá agenda coincidente de pré-candidato com a de presidente da Câmara, elogiou ações do governo e também apontou erros no governo.

Durante a entrevista Rodrigo Maia defendeu um programa complementar do Bolsa família e falou sobre o posicionamento do partido nas eleições estaduais.

Questionado sobre como vai conciliar a agenda de presidente da Câmara com a de pré-candidato, Rodrigo Maia disse que sua agenda não vai mudar e que é possível conciliar o cargo de presidente da Câmara dos Deputados com a agenda de pré-campanha a presidente da República.

“Do ponto de vista da minha agenda fora de Brasília nada muda, apenas a agenda não será só para a cidade do Rio de Janeiro, será para a Paraíba, Mato Grosso e todos os outros estados brasileiros”, disse.

Já em relação aos custos das duas agendas, de campanha e de presidente da Câmara, Rodrigo Maia disse que os custos da agenda de campanha são de responsabilidade do partido e a agenda da Câmara será paga pela Câmara.

“Não haverá agenda coincidente de pré-candidato com agenda de presidente da Câmara”, garantiu.

Eleições na Paraíba

Sobre os planos do DEM em relação as eleições estaduais na Paraíba, Rodrigo Maia disse que O diretório paraibano é quem vai conduzir o processo no Estado, que tem carta branca para construir as suas alianças, “organizando sempre, olhando para o futuro, qual é a aliança que vai organizar melhor não o projeto apenas no Estado, mas o projeto do Democratas a nível nacional”, disse.

Bolsa Família

Durante a entrevista, Rodrigo Maia defendeu um programa complementar do Bolsa família, que segundo ele, tira as famílias da extrema pobreza. “Só que ele não garante uma questão fundamental, que é a mobilidade social, o governo apenas faz a administração dessa extrema pobreza. O que nós queremos é, mantida o Bolsa Família, queremos criar um programa que será um programa complementar, que vai ter um foco esclusivo na educação dessas famílias”, afirmou.

Questionado sobre como vai fazer para descolar sua imagem da do presidente Temer, que carrega uma impopularida alta, Maia disse que sempre pautou sua conduta a frente da Presidência da Câmara pela independência e diálogo.

“Sempre mantive um ótimo diálogo com a presidente Cármem Lúcia (STF) e com o presidente Michel Temer. Só que a Câmara dos Deputados é um poder indepentente. Aquilo que nós entendemos ao longo do governo que era bom para o Brasil, nós pautamos e inclusive lideramos muitas votações. E aquilo que a gente acha que está errado no governo do presidente Michel Temer, a gente tem toda a liberdade de criticar. Muitas vezes eles não gostam. O que cabe na política, como presidente da Câmara, é manter o diálogo aberto com todos os Poderes, mas crítico naquilo que acho que está errado no governo e defender aquilo que acho certo”, afirmou.

Críticas a Temer

Rodrigo Maia também elogiou algumas ações do governo federal, mas fez críticas ao presidente Temer. Segundo ele, o governo “errou fortemente” no final do ano passado, “quando não pensou em uma política para a questão do aumento forte do preço do gás de cozinha e da gasolina, quando esqueceu que o uso da gasolina já não é mais utilizado apenas pela classe m édia alta, passou a ser usada pelo trabalhador. Não aconteceu uma política de compensação da liberação do preço da gasolina e do gás de cozinha, principalmente do gás, para as famílias mais pobres”, disse.

Comentários