Ricardo Sérvulo assume defesa de vítimas da Chacina do Rangel

O advogado Ricardo Sérvulo foi constituído pela família de Moisés Soares dos Santos e Divanise de Lima Santos como advogado das vítimas da execução de ambos e mais três filhos pequenos no caso que ficou conhecido como a chacina do Rangel. Sérvulo disse que houve homicídio triplamente qualificado e responsabilizou a dona de casa Edileuza Oliveira dos Santos pela morte de Divanize, que estava grávida de gêmeos, e das crianças – duas meninas, de 3 e 10 anos e um garoto de 4 anos.

"A participação da esposa foi fundamental nesse crime que teve uma crueldade medieval. O adolescente que sobreviveu à execução me disse que ela teria instigado o marido a se vingar da família de Moisés por causa de uma briga banal. Ela arquitetou o crime de maneira animalesca. Como mulher e mãe, é ainda mais incrível que tenha tido a coragem de retalhar uma gestante e três crianças pequenas e indefesas, que estavam dormindo e não tiveram a mínima condição de se defender", disse o advogado.

Moisés e Edileuza estão presos em João Pessoa, apesar dele ter assumido toda a culpa pelos crimes. A polícia, contudo, não acredita na versão do gesseiro e decidiu manter a esposa atrás das grades até o julgamento do caso, previsto para novembro.

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.