Ricardo Marcelo adia sessão que o efetivaria na presidência da AL

Paulo de Pádua

O presidente em exercício da Assembleia Legislativa, deputado Ricardo Marcelo (PSDB), decidiu no fina da tarde de hoje adiar a realização da sessão extraordinária que o efetivaria no cargo e durante a qual aconteceria também a leitura da carta renúncia do deputado Arthur Cunha Lima (PSDB), com relação ao seu mandato, para assumir a vaga de conselheiro do Tribunal de Contas do Estado (TCE).

O adiamento ocorreu porque o TCE resolveu na tarde, desta quinta-feira, suspender a sessão que apreciava os documentos e o ingresso do deputado Arthur no órgão e marcou uma outra sessão para a próxima quarta-feira, dia 5, quando dará continuidade à apreciação. O relator do processo, que trata do ingresso do parlamentar na Corte do Contas, conselheiro Umberto Porto, acatou as determinações do Ministério Público, que exigiu do tucano o anexo de novas certidões ao processo, a exemplo da certidão da Justiça Federal, SPC, Serasa e da OAB do Rio Grande do Norte.

O procurador do TCE da Paraíba, Marcílio Toscano, já havia feito comentários desfavoráveis à nomeação de Arthur Cunha Lima para vaga de conselheiro do Tribunal. Ele chegou a declarar que o parlamentar, eleito pela Assembleia Legislativa para o ocupar o cargo de conselheiro, não atendia os pré-requisitos estabelecidos pela Corte.

Uma nova sessão extraordinária poderá ser convocada para a próxima terça ou quarta-feira no Legislativo Estadual, dependendo da celeridade da apreciação do TCE com relação ao processo de Arthur. Ricardo Marcelo se esquivou da imprensa, não quis falar e, ao suspender a sessão, saiu de mancinho pela garagem e foi embora acompanhado do deputado Trocolli Júnior (PMDB).

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.