Ricardo Coutinho nega contato com Serra e pede cautela no caso de Efraim

O presidente estadual do PSB, Ricardo Coutinho, comentou, durante sua passagem por Patos, ontem, a denúncia a respeito da contratação pelo gabinete do senador Efraim Morais (DEM) de duas servidoras fantasmas com salários de R$ 3,8 mil. O caso veio à tona por causa de uma reportagem veiculada no Jornal Nacional e na qual duas estudantes se diziam surpresas ao tomarem conhecimento, através de um banco, que estariam lotadas no Senado Federal.

Para Ricardo, é preciso cautela ao analisar a denúncia contra o senador democrata:

– O senador foi muito claro e a nota da ex-assessora dele confirma que a responsabilidade era toda dela e que ele não sabia. Ele deve se pronunciar e eu tenho a impressão que deve ser dado a cada um de nós o direito de se explicar e comprovar sua inocência. Isso é simples e eu não tenho acusação a fazer. O senador haverá de restabelecer a verdade. Mas, em época de eleição sempre surge esse tipo de denúncia e é preciso ter muito cuidado porque em 2006 a tônica foi o tal Sanguessuga que enconbriu tudo. Foi a eleição a favor e contra sanguessuga".

Serra – O socialista ainda negou ter discutido um eventual apoio de seu partido na Paraíba ao presidenciável José Serra, do PSDB. Ele disse que esteve em São Paulo para participar do lançamento da pré-candidatura de Paulo Skaf ao Governo do Estado de São Paulo:

– Não houve absolutamente nada com Serra. Isso, para nós na Paraíba, está muito bem resolvido. Não temos nada contra o PSDB e DEM apoiar Serra e nem o PV apoiar Marina Silva. Também não há problema do PSB e PT apoiar Dilma.

TAGS

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.