Ricardo Coutinho diz que ainda não há data para pagar servidores

O governador da Paraíba, Ricardo Coutinho (PSB), disse hoje em entrevista concedida em Lagoa Seca, que ainda não há data para pagar os salários dos servidores públicos estaduais. Nos bastidores, um graduado auxiliar do chefe do executivo informou ao Parlamentopb que a equipe trabalha com a provável data de 31 de janeiro e 1º de fevereiro para fazer o repasse. Ricardo, contudo, diz que nada está definido, apesar do servidor ser "prioridade":

– Ninguém pode viver de enganação ou de empurrar a situação para a frente. Esse governo vai enfrentar a situação e por isso tem gente que não gosta. Não tem como fazer omelete sem quebrar os ovos. Não posso fazer nada sem equilíbrio financeiro. Tomei as medidas e a Assembleia Legislativa sinalizou que está antenada com o processo de mudanças e vai ajudar nessa travessia. Vamos pagar os servidores, mas não temos ainda data. O servidor é prioridade, mas não tenho data. O primeiro dinheiro que entra é para a folha e só depois vamos para outras áreas. Creio que pode ter algumas injustiças, mas eu tinha que agir para que o Estado tivesse a capacidade de construir e premiar os bons servidores. Não posso crescer o bolo e ele não ter lastro. Compreendo as queixas. Estamos correndo em 19 dias úteis de governo . Há coisas importantes e por isso estamos correndo muito dentro das maiores dificuldades para trazer dias melhores para a Paraíba.

Ainda em Lagoa Seca, o governador anunciou a criação de uma linha de crédito voltada para os agricultores, dentro do Programa de Apoio ao Empreendedorismo na Paraíba (Empreender-PB). O anúncio foi feito no final da manhã durante encontro com agricultores para o lançamento do Programa Estadual de Distribuição de Sementes. 

“A Assembleia Legislativa aprovou o Empreender/PB ontem. Nossa proposta viabiliza uma linha de crédito específica para agricultura dentro deste projeto. O Estado tem a função de criar as condições de crédito para o pequeno agricultor, o que deverá favorecer o aumento do Produto Interno Bruto (PIB). Temos ainda 100 projetos de infraestrutura hídrica em todo Estado que também devem auxiliar o setor”, afirmou o governador.

Ricardo Coutinho se reuniu com agricultores e representantes de entidades agrícolas que formam do Pólo Sindical da Borborema, formado por aproximadamente 15 municípios e 150 associações comunitárias. Ele garantiu que o Estado vai investir R$ 15 milhões na microeconomia do Estado, favorecendo também o trabalhador rural.

O governador ressaltou a importância da agroecologia, considerando a propriedade agrícola como um todo, para viabilizar o desenvolvimento da lógica econômica do Estado. Ele dise que vem estabelecendo diálogos com agentes políticos e produtivos, colocando a sociedade em meio a estas negociações. Segundo ele, é preciso levar o Governo por entre as vias de diálogo com a sociedade.

“Não queremos nos apropriar do que pertence a sociedade. Nosso governo é passageiro e por isso, esse diálogo deve ser com a sociedade, para que ela tome as rédeas do comando da Paraíba após a nossa passagem”, avaliou.

Encontro do Pólo Sindical da Borborema – No primeiro momento do evento, foram apresentadas as dinâmicas da Agricultura Familiar do Pólo Sindical da Borborema, que vem fortalecendo e valorizando as famílias de agricultores, que hoje somam mais de 2.500 famílias, além do favorecimento do Meio Ambiente, da cultura familiar e do patrimônio genético agrícola. Na segunda fase, foram distribuídos 539.830 quilos de sementes.

Dentre as reivindicações dos agricultores, foram elencadas a conclusão do Banco Mãe de Sementes (obra que se arrasta há cinco anos), a revitalização da cultura da batatinha no Agreste, que está quase em extinção e o Programa de Distribuição de Sementes da Paraíba.

Distribuição de sementes – Segundo o secretário executivo de Agricultura Familiar do Estado, Alexandre Eduardo de Araújo, a distribuição das sementes tem o objetivo de assegurar o atendimento da demanda de agricultores familiares, cuja renda é de até meio salário mínimo e engloba um montante de cerca de 90 mil agricultores em todo o Estado. “Devemos atingir um contingente de 53.983 famílias, distribuindo sementes de milho, feijão e algodão. Mas nossa meta é dobrar esse atendimento no ano que vem”, ressaltou.

O secretário informou ainda que é preciso tomar as rédeas da produção de sementes, o que poderá reduzir os custos com a produção agrícola em 50%. “Tudo que é plantado aqui vem de outros Estados, muito embora tenhamos viabilidade tecnológica, áreas e agricultores capacitados para produzir mais de 2.400 toneladas de sementes aqui na Paraíba”, explicou.

Diálogo em prol da Agricultura – O Encontro também serviu como base para o diálogo entre inúmeras entidades e autoridades, ligadas direta ou indiretamente à Agricultura Familiar que se fizeram presentes, como os prefeitos de Lagoa Seca, Alagoinha e Esperança, além do secretário de Estado do Desenvolvimento da Agropecuária e da Pesca, Marenilson Batista da Silva; secretário Executivo Chefe da Casa Civil, Lúcio Flávio Vasconcelos; deputado Manoel Ludgério (PDT), representando a Assembleia Legislativa; representantes de entidades como UFPB (campus Bananeiras), UEPB e Embrapa; presidentes da Emater, Interpa, Emepa, além de coordenadores do Projeto Cooperar; presidentes de Conselhos Municipais de Desenvolvimento Rural; presidentes do Sindicato dos Trabalhadores Rurais e da Associação de Produtores; como também de agricultores agroecológicos.

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.