Ricardo Coutinho acusa Governo de descaso no combate à Mosca Negra

O combate efetivo a praga da Mosca Negra dos Citrus e a execução de medidas que incentive a produção da fruticultura paraibana foram as principais reivindicações que a população de Matinhas, município situado na microrregião do Brejo paraibano, expôs ao presidente estadual do PSB e pré-candidato ao Governo do Estado, Ricardo Coutinho, nesta quinta-feira, 22.

Acompanhado do prefeito da cidade, Aragão Júnior (PTB), do deputado Romero Ridrigues (PSDB) e dos pré-candidatos ao Senado, Cássio Cunha Lima (PSDB), e do senador Efraim Morais (DEM), Ricardo conheceu de perto o problema. O socialista visitou plantações, conversou com produtores e lideranças políticas da regiào e ficou surpreso com as escassas ações em âmbito estadual, que vêm sendo executadas para combater o problema.

"Não estamos aqui para culpar o Governo pela entrada da Mosca Negra na Paraíba. Mas, sim para denunciar a omissão que tem se estabelecido no combate efetivo a esta praga, porque o Governo não consegue chamar para si a responsabilidade de resolver o problema. O pior é que essa omissão tem afetado diretamente a população da região, que sente as conseqüências da falta de capacidade administrativa de encontrar soluções", comentou Ricardo.

A praga da Mosca Negra já afetou 15 municípios do Estado, reduzindo em cerca de 80% a frutificação das laranjas e diminuindo significativamente o seu valor comercial e inclusive podendo acabar com toda a plantação. O município de Matinhas é atualmente o maior produtor nordestino de tangerina, chegando a produzir por ano, uma média de 15 mil toneladas da fruta.

Soluções – Para Ricardo Coutinho, o Governo do Estado precisa tomar medidas urgentes para conter o avanço da praga. Entre elas, o pré-candidato citou a liberação de recursos para a construção de uma biofábrica capaz de produz inseticidas naturais.

“Já existe um projeto aprovado pelo Ministério da Agricultura. O Ministério liberaria R$ 250 mil para a construção da biofábrica, que teria a produção a cargo dos pesquisadores da Universidade Federal da Paraíba, Campus de Areia. Mas, para isso é necessário a contrapartida local de R$ 100 mil. Até agora o Governo não se manifestou sobre o assunto”, lamentou.

Segundo o secretário de Agricultura do município de Matinhas, o agronômo Marcos Rosolen, a biofábrica iria produzir em laboratório os predadores naturais da Mosca Negra, que são o ‘bicho lixeiro’ e a ‘joaninha’. “Eles seriam criados e reproduzidos em laboratório e soltos no campo. O combate a praga se daria de forma completamente natural, sem o uso de agrotóxicos”, ressaltou.

Ricardo Coutinho também apontou a necessidade de fortalecer as barreiras ambientais do Estado para evitar que outras pragas, ainda mais nocivas, cheguem à Paraíba. “Isso só será possível com a contratação imediata dos agentes ambientais aprovados no último concurso, que igualmente aos agentes penitenciários não foram chamados pelo atual Governo”, afirmou.

Cobrança – O pré-candidato ao Senado, Cássio Cunha Lima, aproveitou para cobrar da atual gestão que execute ações imediatas de controle da praga. “Estamos aqui cumprindo o nosso papel de oposição. E na democracia, a oposição é tão importante quando o Governo, pois estamos apontando problemas e cobrando as soluções que a população tanto necessita”, ressaltou.

Já o também pré-candidato ao Senador, Efraim Morais, lembrou que as questões técnicas para resolver o problema já foram postas pelos especialistas. O que falta agora, de acordo com ele, é que haja ação administrativa. “Precisamos de vontade política para adotar as medidas necessárias”, frisou.

A visista ao município de Matinhas também foi acompanhada pelos prefeitos dos municípios de Areial, Adelson Gonçalves (PSDB); de Lagoa Alagoa Grande, Bosco Carneiro Júnior (PPS); de São Sebastião de Lagoa da Roça, Lúcio Flávio Bezerra (PSDB) e de Montadas, Lindemberg Souza (DEM), além de vereadores dos municípios da região. 

TAGS

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.