Rachel Sheherazade é contratada menos de 24 horas após dispensa do SBT

 

Dispensada pelo SBT um mês antes do fim de seu contrato, Rachel Sheherazade não ficou nem 24 horas desempregada e já assinou contrato com sua nova casa. A partir desta terça-feira (29), ela passa a integrar o time do Metrópoles, onde apresentará um programa de entrevistas e debates nas plataformas digitais do portal de notícias.

“Terei liberdade para escolher meus personagens e fazer as perguntas que me convierem”, afirmou a jornalista ao Notícias da TV. “Pretendo ouvir todos os lados. Não me importa se pensam semelhante a mim ou o contrário. Minha única condição para escolher um entrevistado é que ele pense! Que tenha algo para acrescentar ao debate.”

Emitir opinião foi o que tornou Sheherazade nacionalmente conhecida. Silvio Santos se encantou com o posicionamento da jornalista a respeito do carnaval paraibano, na época em que ainda trabalhava na TV Tambaú, afiliada do SBT na Paraíba, e a trouxe para São Paulo, colocando-a na bancada de seu principal telejornal, o SBT Brasil.

Quando chegou, ela tinha liberdade total para opinar. Mas aos poucos, o dono da emissora passou a sofrer pressão por parte de patrocinadores, que não concordavam com as falas da jornalista. Silvio a proibiu de falar o que pensa, reduziu seu espaço no ar e a demitiu.

Agora, no Metrópoles, a apresentadora recebeu carta branca para dizer o que pensa. Até mesmo para criticar aliados de seu novo patrão, o ex-senador Luiz Estevão, condenado a 31 anos de prisão por desviar verbas das obras do Tribunal Regional do Trabalho de São Paulo.

“Não me foi imposta qualquer censura. Pelo contrário, a CEO do Metrópoles [Lilian Tahan] me garantiu não haver qualquer ingerência do proprietário na linha editorial. Falou-me uma palavra que me encantou: ‘pluralidade'”, frisou.

Antes de ter confirmada a saída do SBT, Sheherazade teve o nome relacionado em possíveis reforços do jornalismo da Band, da CNN Brasil e até mesmo da rádio Jovem Pan, onde trabalhou por dois anos.

Na nova casa, ela se desprende do formato do tradicional jornalismo de bancada e fará uma transição para conquistar a web. “Sou uma jornalista. O veículo que utilizo para divulgar meu trabalho pode ser a web, a TV, o rádio, o jornal. Não importa”, afirmou.

“Sou apaixonada pela minha profissão e agora que deixei o SBT vejo um grande horizonte de oportunidades se abrindo para mim. Gosto de me sentir livre e há muito tempo não experimentava essa sensação. No jornalismo não há caminhos sem volta. Há novos caminhos, que te revelam outros dons e talentos e fazem você evoluir na profissão”, avaliou.

 

UOL

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.