Mário Tourinho

Administrador, pós-graduado em Planejamento Operativo, já atuou na administração pública federal, estadual e municipal


Que vivamos em paz!

Não devemos nem podemos escrever ou ler só sobre as preocupações que são próprias ao dia a dia! Isto ajudaria em que?! Aliás, não devemos nem podemos desmerecer os escritos nem as leituras sobre tais preocupações, isto porque entendemos que assim se procede minimamente com a intenção de corrigir suas causas e consequentemente tornar a vida melhor… cada vez melhor! Uma vida de paz e alegria!

Com este pensamento encontrávamo-nos no automóvel com o rádio ligadoe nos chamou a atenção uma canção interpretada pela Banda Titãs, cujo título não pretendemos mencionar, exatamente para não falar de algo que aponte para sentimento de tristeza ou de saudade. E aqui queremos compartilhar alguns de seus versos, todavia mudando o tempo do verbo, ou seja, em vez de colocá-lo no passado, fazê-lo no presente, ou seja, no lugar de“Devia ter amado mais!”, fica “Devo amar mais!”.

Pois, bem! Esta canção, cujo compositor é um dos integrantes da própria Banda Titãs (Sérgio Britto), faz-nos refletir sobre nosso modo de ser, concitando-nos para vivermos mais compreensivamente, melhor aproveitando a vida!

“Devo amar mais/ Chorar mais/ Ver o sol nascer/ Arriscar mais/ E até errar mais/ Fazer o que devo fazer” – diria um trecho dessa poesia.

Também diria: – “Devo aceitar/ As pessoas como elas são/ Cada um sabe a alegria/ E a dor que traz no coração”.

Certa vez, lá quando ainda estudávamos inglês na Central de Línguas (próxima à avenida Epitácio Pessoa – aqui na capital paraibana), aos sábados à tarde, costumávamos fazer nosso deslocamento casa/escola/casa através do transporte coletivo. Terminadas as aulas dirigimo-nos ao ponto do ônibus e, lá chegando, um cidadão, que parecia mal humorado –e nosreconhecendoque trabalhávamos nesse setor –  foi logo reclamando: “Já faz uma meia hora que não passa um ônibus!”. Um outro cidadão, este bem descontraído, disse: “Que nada, Fulano!… Estamos aqui não faz nem 10 minutos!…”.

Com isto – e concluindo – nos cabe lembrar mais alguns trechos da poesia de Sérgio Brito, trazendo-os para o presente: – “Devo complicar menos/ Me importar menos/ Com problemas pequenos/ Devo mais ver o sol se pôr/ Devo aceitara vida como ela é/ A cada um cabe alegria/ E a tristeza que vier/ Mas o que mais vale/ É a vida com alegria e amor”!

Comentários