PT proíbe filiados de ocuparem cargos no Governo de Ricardo

A Executiva Estadual do PT aprovou, durante encontro hoje a tarde, por 26 votos a favor e 3 abstenções, resolução que mantém o partido na oposição ao governador eleito, Ricardo Coutinho (PSB), proíbe que qualquer membro petista ocupe cargo no novo Governo, que inicia o mandato a partir do dia 1º de janeiro de 2011, e recomenda que a bancada estadual eleita cobre a vigência da lei, aprovada pela Assembleia Legislativa, do reajuste dos salários dos policiais militares, civis, bombeiros e agentes penitenciários, que ficou conhecido como a “PEC dos Militares”.

Também foi aprovado e consta na resolução que o PT terá candidatura à prefeito, nas eleições de 2012, nas principais cidades da Paraíba, incluindo João Pessoa e Campina Grande. No documento, os petistas solicitam do atual governador José Maranhão (PMDB) o envio, ainda este ano, ao Legislativo Estadual da lei que devolve benefícios salariais aos profissionais da saúde, que foram retirados no então Governo Cássio Cunha Lima (PSDB) e lei que contempla a Defensoria Pública.

O presidente do PT da Paraíba, deputado estadual Rodrigo Soares, considerou a reunião da Executiva bastante produtiva. Ele fez questão de destacar, entre os itens aprovados em resolução, o que determina que o partido faça oposição ao PSB, de Ricardo Coutinho, PSDB, de Cássio Cunha Lima, e ao DEM, presidido pelo atual senador Efraim Morais. Ele frisou que o documento foi aprovado por quase que a totalidade dos dirigentes presentes e por isso tem todo o respaldo da Executiva Estadual.

Rodrigo deixou claro que o abandono da reunião dos grupos, orientados pelo deputado federal reeleito Luiz Couto, Júlio Rafael, Walter Aguiar, Francisco Linhares, entre outros, não vai influenciar nos debates e votações ocorridas na tarde deste sábado.

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.