Promotora cobra explicações sobre demissões em Guarabira

A Promotoria de Justiça de Guarabira encaminhou ofício às secretarias estaduais de Saúde e da Administração para saber os motivos que levaram o Governo do Estado a exonerar, no início do mês, cerca de 30 pessoas que trabalhavam no Hospital Regional localizado no município. De acordo com o diretor geral da unidade, Hildo José Lisboa Alves, todas as pessoas exoneradas eram prestadoras de serviço e a maioria desempenhava a função de auxiliar administrativo.  Também foram demitidos técnicos de enfermagem, um nutricionista, um fisioterapeuta e um fonoaudiólogo.

Os profissionais recorreram ao Ministério Público e a promotora de Justiça Ana Guarabira de Lima Cabral encaminhou, há uma semana, o ofício solicitando informações dos órgãos governamentais envolvidos. “Houve demissão em massa e enquanto representante do Ministério Público quero saber os motivos. Estou questionando também o tipo de contrato desses servidores, por isso pedi as portarias de nomeação e de exoneração”, explicou.

Hildo José Lisboa Alves disse que a demissão em massa não prejudicou as atividades do hospital que realiza, em média, 600 atendimentos por dia (entre procedimentos hospitalares e ambulatoriais). O diretor geral do Hospital Regional de Guarabira não soube informar os motivos que levaram à exoneração desses profissionais.

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.