Promotor recomenda que prefeito de Patos não exija “passaporte de vacina”

O promotor de Justiça Elmar Thiago Pereira de Alencar, da 3ª promotoria de Patos, fez uma recomendação ao prefeito de Patos, Nabor Wanderley (Republicanos), para que ele revogue o decreto 070/2021 que exige a apresentação do chamado “Passaporte da Vacinação” para permitir a entrada em estabelecimentos públicos e privados do município. O documento publicado nesta segunda-feira (20) cita a inconstitucionalidade do decreto.

O entendimento de Elmar Thiago é que que a norma municipal de Patos fere o artigo 5º, inciso XV, da Constituição Federal que estabelece a inviolabilidade do direito à liberdade, garantindo-se a livre locomoção no território nacional em tempos de paz. O representante do MP acrescenta que levou em consideração a redução exponencial da ocorrência de casos de Covid-19 no Estado da Paraíba e que essa situação não justifica a adoção de providências restritivas de direito, sem a violação das balizas da proporcionalidade.

O texto ainda afirma que o impedimento irrestrito e indiscriminado do direito fundamental à liberdade de locomoção não estabelece pertinência com a conjuntura de contenção do vírus, mesmo diante da constatação de contaminação comunitária no território.

Elmar estipulou um prazo de 48 horas para que o prefeito de Patos informe se vai cumprir ou não a recomendação expedida por ele nesta segunda-feira, 20.

Nesta terça-feira, a Assembleia Legislativa da Paraíba vai votar um projeto de lei que caso aprovado tornará obrigatória a exigência do passaporte da vacina para acesso a ambientes públicos em todo o Estado. De autoria dos deputados Ricardo Barbosa e Adriano Galdino, o projeto prevê ainda que as pessoas que se recusarem à vacinação contra o novo coronavírus serão impedidas de se inscrever em concursos públicos, efetuar matrículas na rede estadual de ensino e, caso sejam servidores públicos, ficarão com os salários suspensos.

 

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.