Professora denuncia colega por assédio moral e psicológico

A Professora Doutora Magna Maria Macêdo Ferreira, da Universidade Federal de Roraima (UFRR), denunciou a também professora Vilma Marques Ferreira, do campus de Areia da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) por assédio moral e psicológico. O fato ocorreu durante a prova de um concurso realizado pela UFPB para o preenchimento de uma vaga de professor na cadeira Fisiologia Vegetal, no Campus de Areia da UFPB.

Vilma fazia parte da banca examinadora responsável pela análise da apresentação da candidata. Magna Maria diz que foi constrangida durante a aula de apresentação, no momento em que se preparava para expor o material que havia preparado. “Foram várias as pessoas que presenciaram esse episódio lamentável, entre elas os outros professores da banca, alguns alunos do curso de pós-graduação, professores do centro e até o candidato rival”, diz Magna, em sua denúncia.

Segundo o relato de Magna, o problema foi gerado depois que ela colocou a foto dos três filhos sobre a mesa, junto com o material que usaria para ministrar sua aula. Vendo aquilo, Vilma teria dito: "Isso aí está parecendo mais uma mandinga".

"Ora, mandinga se refere a uma forma pejorativa de invocar as forças do mal para requerer algum benefício, o que não é o meu caso e, mesmo se fosse, cabe à banca examinadora de um concurso público propiciar um ambiente salutar para que os candidatos desenvolvam suas potencialidades a fim de que sejam julgados com imparcialidade. Quero afirmar que tal fato me deixou muito mal psicologicamente no momento de execução da aula. Senti-me extremamente humilhada e ofendida primeiramente como mãe de três filhos lindos que eu tenho. Depois como candidata. Não parou por aí. Quando terminou a prova didática dirigi-me a algumas pessoas conhecidas. No momento em que eu estava cumprimentando uma professora do centro e mostrando-lhe as fotos dos meus filhos, a professora Vilma Marques Ferreira se aproximou mais uma vez e disse: ‘Professora, ela está com mandinga’", contou Magna Maria.

A professora que denuncia o assédio é natural de Recife, Pernambuco, mudou-se para Campina Grande ainda criança, onde cursou o colegial. Graduou-se em Agronomia pela Universidade Federal da Paraíba (1993). É mestre em Agronomia pela Universidade Federal do Ceará (1995) e Doutora em Agronomia pela Universidade Federal de Viçosa-MG (2001). Ela é especialista em Botânica, com foco em Fisiologia Vegetal. Atualmente, é professora efetiva da Universidade Federal de Roraima (UFRR), onde reside com o esposo, Gilvan Ferreira, pesquisador da Embrapa, e os três filhos. Magna decidiu se submeter ao concurso da UFPB para retornar à Paraíba, onde quer voltar a desenvolver seus projetos profissionais.

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.