Procuradoria desprezou áudio em que Daniel cita Fux e Barroso por achar “frágil”

Um interlocutor do delator Daniel Gomes da Silva, ex-chefe da Cruz Vermelha gaúcha confirmou que o empresário entregou, de fato, à Procuradoria-Geral da República uma gravação com citações aos ministros do STF Luiz Fux e Luís Roberto Barroso. O material foi divulgado hoje no programa de rádio Arapuan Verdade e reproduzido pelo ParlamentoPB.

A conversa de áudio, segundo esse interlocutor, foi desprezada pelos investigadores durante a negociação do acordo de delação do empresário por ser considerada uma evidência frágil, “coisas de ouvir dizer”, e não um fato testemunhado pelo investigado.

Daniel foi preso por envolvimento em desvios na área da saúde do governo da Paraíba na gestão de Ricardo Coutinho (PSB). Ele também é investigado por crimes em outros estados.

A conversa com citações aos ministros do STF dizem respeito a tratativas para evitar a cassação de Coutinho no TSE, em 2018, tribunal também integrado pelos dois magistrados na ocasião. A delação do empresário da área da saúde foi homologada pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ) em dezembro do ano passado, como mostrou em primeira mão a coluna Radar, da Revista Veja.

Leia mais:

Calvário: em novo áudio Daniel Gomes insinua influência sobre ministro a favor de Ricardo

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.