Procurador de Cajazeiras acusa Carlos Antônio de leviandade

O Procurador Geral do Município de Cajazeiras, Pedro Bernardo Neto, estranhou informações de que o ex-prefeito Carlos Antonio Araújo de Oliveira estaria tendo dificuldade de acesso a documentos da Prefeitura para fazer a defesa de suas contas junto ao Tribunal de Contas do Estado da Paraíba.

“É lamentável se usar informação leviana para justificar uma manobra, visando postergar uma decisão do TC”, disse o procurador, alegando que todos os documentos foram entregues já duas vezes em tempo hábil, sendo que a primeira vez foi de forma administrativa. A segunda, conforme explicou Pedro Neto, foi em contestação a uma Ação Cautelar movida pelo ex-gestor.

O procurador disse que, em Sentença, o juiz da 4ª Vara da Comarca de Cajazeiras, Edivan Rodrigues Alexandre, reconheceu que a Prefeitura, regularmente citada, apresentou em juízo a documentação, cumprindo sua obrigação de prestar as informações necessárias.

Ele também revelou que o prefeito Léo Abreu encaminhou ofício ao auditor do Tribunal de Contas do Estado, Oscar Mamede Santiago Melo, no dia 06 de abril passado, informando que toda a documentação requerida pelo ex-prefeito na Ação Cautelar em trâmite pela 4ª Vara da Comarca de Cajazeiras, inclusive com liminar deferida, fora cumprida a tempo e modo com a juntada dos documentos solicitados, conforme comprova cópia da contestação protocolada em 29 de março de 2010.

O procurador do município revela ainda que a referida documentação já  havia sido entregue ao ex-gestor em 07 de janeiro deste ano.

TAGS

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.