Príncipe Philip será sepultado neste sábado em cerimônia restrita

Um antigo jipe modificado pelo próprio príncipe Philip vai carregar hoje o caixão do marido da rainha Elizabeth II na cerimônia fúnebre no palácio de Windsor, que terá apenas 30 convidados devido às restrições da pandemia da covid-19.

O veículo, um Land Rover Defender, foi pintado de verde militar e adaptado de forma a funcionar como um carro funerário, de acordo com as ideias e desejos do duque de Edimburgo, que planeou meticulosamente seu próprio funeral, ao longo de 18 anos.

Em vez de um cortejo de 40 quilômetros aberto ao público do centro de Londres até ao palácio de Windsor, a necessidade de evitar aglomerações levou à decisão de conter os preparativos dentro dos muros da propriedade real, onde o príncipe consorte morreu aos 99 anos em 9 de abril.

O número de convidados também teve de ser reduzido das centenas previstas pelo protocolo, entre políticos e chefes de Estado estrangeiros, para um grupo de apenas 30 pessoas, número ditado pelas regras em vigor na Inglaterra para conter a pandemia.

Os quatro filhos, príncipes Charles, Andrew, Edward e Anne, bem como os netos William e Harry, vão acompanhar o veículo a pé até à Capela de São Jorge, também no castelo, onde o corpo se encontra atualmente. A rainha Elizabeth fará o trajeto de carro.

Outros familiares convidados incluem netos, primos, sobrinhos e parentes do ramo alemão da família do príncipe Philip. Os filhos do príncipe William não estarão presentes.

Todos usarão trajes civis, uma solução encontrada para evitar uma situação incômoda, já que o príncipe Harry, que deixou de representar a família real e perdeu os títulos honoríficos, seria o único do núcleo mais próximo sem uniforme militar.

Os convidados terão também de usar máscaras, incluindo a rainha, e terão de respeitar o distanciamento social dentro da capela durante a cerimônia religiosa, que deverá durar cerca de 50 minutos.

Embora as regras de saúde pública tenham levado à alteração dos planos iniciais, muitos dos detalhes da cerimônia se mantém como o marido da Rainha pediu, tal como o envolvimento de guardas de honra de várias forças militares.

O príncipe Philip cumpriu serviço na Marinha Real britânica e combateu na Segunda Guerra Mundial, tendo chegado à patente de comandante, mas abandonou a carreira quando Elizabeth II subiu ao trono.

Um toque militar usado nos navios da Marinha para colocar as tripulações em posição de combate, chamado Action Stations, foi especialmente solicitado, tal como The Last Post, normalmente tocado em funerais de soldados.

O corpo do Duque de Edimburgo ficará sepultado no jazigo real da Capela de São Jorge do Palácio de Windsor.

 

 

 

 

Por Agência Brasil, com Reuters

Foto: Pixabay/Ilustrativa

VEJA TAMBÉM

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.