Primo de Manoel Mattos acusa Manoel Júnior de encomendar crime

Uma das testemunhas do caso Manoel Mattos fez hoje uma denúncia grave no Correio Debate da 98 FM. Ele acusou o deputado federal Manoel Júnior (PMDB) de ter encomendado a morte de um vereador de Pedras de Fogo. Segundo o relato de Absom Alves de Mattos, o crime teria custado R$ 40 mil.

– Eu venho fazendo várias denúncias sobre esses grupos de extermínio que têm desde juízes, promotores, policiais militares. Tem um deputado federal, inclusive, até pagou… e eu vou relatar porque estou para ser executado e eu quero que gravem isso porque a qualquer momento posso ser assassinado. Teve um deputado federal de Pedras de Fogo e eu vou relatar o nome para que ele entre com um processo contra mim, chamado Manoel Júnior que executou um vereador de Pedras de Fogo por R$ 40 mil.

Absom acrescentou que vem sofrendo constantes ameaças e pediu proteção policial ao secretário de Segurança Pública da Paraíba, Cláudio Lima. Até agora, segundo ele, nenhuma providência foi tomada pelas autoridades de Segurança para garantir sua integridade.

Manoel Mattos, que era filiado ao PT, foi assassinato a tiros na praia de Pitimbu no dia 24 de janeiro de 2009. O advogado foi morto com dois disparos de uma arma de grosso calibre. Ele era conhecido por fazer denúncias contra grupos de extermínio e crimes de pistolagem na Zona da Mata de Pernambuco. Chegou a passar um ano com escolta policial, após sofrer constantes ameaças de morte. Perdeu o direito à escolta em janeiro, quando terminou seu mandato como vereador.

O Parlamentopb telefonou ao gabinete do deputado federal Manoel Júnior em Brasília, mas ninguém atendeu. O celular da assessoria de imprensa de Brasília estava desligado. O assessor na Paraíba disse que o parlamentar desconhecia o assunto, bem como a denúncia, que é descabida.

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.