Presidente do PPS diz que Nivaldo não provou justa causa para desfiliação

O presidente do PPS (Partido Popular Socialista), José Bernardino da Silva, disse que o deputado Nivaldo Manoel, que atualmente está filiado ao PMDB, não conseguiu provar em sua resposta à ação de declaração e decretação de infidelidade partidária que o partido lhe move, razões que justificassem a sua saída da legenda.

O dirigente partidário declarou que nada de novo foi trazido à tona pelo ex-filiado Nivaldo Manoel que sustentasse o direito de deixar a agremiação e levar o mandato de parlamentar estadual.

O advogado do partido, Ricardo Sérvulo, concordou com o presidente José Bernardino quanto à falta de argumentos e razões do deputado em suas explicações apresentadas na defesa na ação. "Pela fragilidade dos motivos suscitados pelo deputado Nivaldo Manoel para justificar a sua saída do PPS, entendo que o TRE irá reconhecer inevitavelmente a infidelidade ao partido praticada pelo parlamentar".

Ricardo Sérvulo assegura que o que Nivaldo Manoel apenas demonstrou em sua defesa a disputa política interna dentro do partido e, segundo a jurisprudência dominante dos tribunais, o argumento não justificariam a justa causa para deixar a agremiação pela qual conquistou o mandato, assegurando que, quem se apegar em tal tese cometerá infidelidade partidária e perderá  o mandato.

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.