Presidente do PMDB descarta aliança com PSB e admite apoio a Fofinho

O presidente estadual do PMDB, Antônio de Souza, descartou veementemente qualquer aliança com os partidos que fazem parte da base de apoio do governador Ricardo Coutinho (PSB), em relação ao processo de sucessão municipal de Bayeux.
 
“A aliança com o PSB está descartada. Nós vamos convidar o presidente do partido, conversar com Jota e os vereadores. Nós não vamos deixar que o partido fraqueje aí ou se debande pro lado do governador. Isso nós não vamos aceitar. Nós vamos convocar as lideranças locais, inclusive, o prefeito, e ele já sabe que no PMDB não existe isso”, enfatizou.
 
Antônio de Sousa afirmou que discutirá com as lideranças do PMDB em Bayeux a real situação do partido e caso não consiga lançar um candidato a prefeito com densidade eleitoral e experiência administrativa vai procurar um candidato entre os partidos aliados (atualmente PSC e PPL).
 
“Nós temos que primeiro tratar das questões internas do partido. Onde o partido não tiver possibilidade de lançar um candidato a gente procura entre os partidos aliados e fazemos uma composição. Primeiro vamos chamar os dirigentes e conversar, saber a real situação do partido para depois discutir coligação”, afirmou.
 
Apoio a Fofinho – Em relação à possibilidade de apoio político do ex-governador José Maranhão (PMDB) ao pré-candidato a prefeito Fofinho (PPL), o vereador mais votado da cidade (2.514 votos) e ex-presidente da Câmara, Antônio Souza destacou o bom relacionamento do parlamentar com Maranhão, disse que ele já foi convidado para se filiar ao PMDB e que caso a legenda não consiga emplacar um candidato a prefeito em Bayeux o partido pode fazer uma aliança com Fofinho.
 
“Fofinho tem um bom relacionamento com José Maranhão. E comigo aqui não tem problema nenhum. Na época (das filiações) ele até disse que tinha intenção de se filiar ao partido e nós oferecemos para ele se filiar, mas ele desistiu da filiação. Hoje ele está no partido (PPL) e se esse partido houver uma decisão de marchar aliado e se a gente não tiver candidato do PMDB dentro de Bayeux, aí é caso de se estudar com ele ou outro aliado. Onde não houver possibilidade de se lançar um candidato do PMDB vamos procurar dentre os aliados um candidato para o PMDB marchar com ele”, finalizou.

Bayeux em Foco

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.