Presidente da Famup acusa CGU de fazer “carnaval” em prefeituras

O presidente da Federação dos Municípios da Paraíba (Famup), Buba Germano, criticou a forma pela qual se dá a fiscalização da Controladoria Geral da União (CGU) nas contas dos municípios. A CGU é responsável por fazer auditorias e fiscalizações para verificar como o dinheiro público está sendo aplicado e, para isso, realiza sorteios periódicos de estados e municípios que terão suas contas analisadas. Segundo Buba, a ação dos fiscais usa de espetacularização desnecessária.

"Eles chegam às prefeituras junto com a Polícia Federal, como se fosse uma batida policial, fazem um carnaval nas prefeituras. Não precisa disso. As informações são públicas", declarou Buba.

Segundo o presidente da Famup, algumas prefeituras enfrentam dificuldades para efetivar o pagamento do 13º salário por conta do comprometimento da receita com dívidas de precatórios e de INSS. Segundo ele, se o governo federal cumprir a promessa de aumentar em 1% o repasse do Fundo de Participação dos Municípios, o impasse será solucionado e os prefeitos terão como honrar os compromissos com os servidores. Ele acrescentou que a recomendação da Famup é de que os gestores priorizem o pagamento do funcionalismo. Ele não soube precisar, contudo, quantos municípios enfrentam dificuldades para cumprir suas obrigações salariais do final do ano, mas também criticou o fato de a Federação dos Servidores Públicos Municipais da Paraíba (Fespmpb) ter se queixado da possibilidade de funcionários terem seus salários atrasados.

"A Federação nunca elogiou aqueles gestores que já pagaram metade do décimo terceiro de maneira antecipada no meio do ano. Os sindicatos tendem a generalizar", declarou.

Sorteio – No último sorteio realizado pela CGU no dia 5 de outubro, os municípios paraibanos de Cacimbas, Serra Grande e Quixaba foram escolhidos para receber a fiscalização especial do órgão.

 

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.