Presidente da Associação Comercial diz que 1,1 milhão vivem de esmola na PB

Campina Grande – "Imaginar que 500 mil famílias vivem, na Paraíba, do Bolsa Família, é pensar numa população de 1 milhão e 100 mil pessoas que vivem de esmolas". As declarações foram dadas por Luiz Alberto Leite, presidente da Associação Comercial de Campina Grande. Em entrevista concedida ao repórter Márcio Rangel, ele revelou porque é contra o atual modelo de política social desenvolvido no Brasil. Para o empresário, além de oferecer o dinheiro é necessário garantir que o beneficiário possa melhorar de vida a partir de atividades de capacitação profissional.

Para Luiz Alberto Leite, os investimentos em educação e profissionalização da população paraibana são fundamentais para o processo de desenvolvimento. Segundo ele, outro fator importante que não pode deixar de ser lembrado é a intensificação dos investimentos estatais na infra-estrutura.

De acordo com o empresário, uma forte política de criação de novos mercados deve ser adotada pelos governantes, independentemente das diferenças partidárias. Isso porque, na visão de Luiz Aberto Leite, os conflitos eleitorais terminam comprometendo o andamento de ações que podem ajudar no crescimento econômico da região.

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.