Presidente da AMPB cobra à Comissão de Segurança proteção para magistrados

A preocupação com juízes estaduais que sofrem ameaças foi mais uma vez destacada pela presidente da Associação dos Magistrados da Paraíba diante de membros da Comissão de Segurança do Tribunal de Justiça da Paraíba. Em reunião realizada nesta segunda-feira (1º de julho), a juíza Aparecida Gadelha declarou que os casos são acompanhados com rigor pela AMPB.
“Fazemos avaliações e deliberamos a respeito de providências a serem adotadas de acordo com a atual conjuntura. Estamos sempre atentos ao desenvolvimento dessas ameaças e do possível risco”, afirmou Aparecida durante a reunião. A magistrada apresentou, ainda, dois requerimentos, com propostas a serem estudadas pela Comissão e pela gestão. Um deles, busca a criação de um plano de assistência e proteção para magistrados que correm riscos, com exemplos de outros Estados que já implementaram a medida. O outro diz respeito à instituição de um Fundo de Segurança estadual, com o objetivo de reservar verbas para utilização específica na segurança dos prédios do Judiciário.
O avanço na implementação do Projeto Acesso Seguro nas comarcas do interior também foi um dos temas tratados pela Comissão. Na ocasião, foi informado aos presentes que os servidores das Comarcas de Pedras de Fogo, São Bento, São José de Piranhas, Itabaiana, Cajazeiras, Piancó e Campina Grande receberam capacitação para operar o sistema de controle de acesso.
Para o presidente da Comissão, desembargador Joás de Brito Pereira Filho, a reunião foi proveitosa. “Verificamos todos processos pautados, avançamos com a questão do Fundo e com a implantação do Acesso Seguro em algumas comarcas e discutimos muitos pontos salutares relacionados à segurança”, disse.
A reunião contou, também, com a presença dos juízes Rodrigo Marques e Michelini de Oliveira Dantas Jatobá, do  Coronel Gilberto Moura e Jardel Rufino.
Presidente da AMPB cobra à Comissão de Segurança proteção para magistrados

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.