Prefeitura e Governo devem perder 20 auxiliares em ano eleitoral

A partir de abril do próximo ano, quem estiver lotado no serviço público e pretende concorrer a cargos eletivos nas eleições municipais de 2012, terá que se desincompatibilizar de suas funções para poder obter o registro de candidatura.

Este é caso de, pelo menos, 20 auxiliares do governador Ricardo Coutinho e do prefeito de João Pessoa, Luciano Agra, ambos do PSB.

Os servidores terão que deixar os cargos para entrar na disputa por uma vaga na Câmara Municipal de João Pessoa, para prefeitura da Capital e dos demais municípios paraibanos.

Com isto, os governos estadual e municipal podem passar por uma reforma em seus secretariados. No Estado, podem deixar as pastas o diretor administrativo da Cehap Rogério Trócolli, o diretor executivo da Fundação de Ação Comunitária (FAC) Vital Costa, e o coordenador de Planejamento do Projeto Cooperar, Waldemar Marinho (Demazinho).

E mais: o secretário do Turismo e do Desenvolvimento Econômico  Renato Feliciano, a  secretária da Mulher e da Diversidade Humana, Iraê Lucena,  o diretor administrativo do Detran, Flávio Moreira, o diretor da Junta Comercial, Jutahy Menezes, o presidente da PBGás, Zenóbio Toscano, e o gerente executivo da Casa da Cidadania, Jair Soares.

Os nomes de João Pessoa

Em João Pessoa, o prefeito Luciano Agra pode ter que nomear novos integrantes para pelo menos dez cargos.

Na Capital, pretendem voltar à Câmara Municipal (CMJP), para concorrer à reeleição, os vereadores licenciados João Corujinha (PSDC), atual secretário de Esporte, Juventude e Lazer; Pedro Coutinho (Superintendente do Instituto de Previdência do Município), Raoni Mendes (PDT) (chefe de gabinete da PMJP).

Também pretendem lançar candidaturas em 2012 a superintendente adjunta do IPM, Paula Frassinete, o secretário de Desenvolvimento Urbano (Sedurb) Lucius Fabiani (PT), a secretária de Planejamento (Seplan) Estelizabel Bezerra, e o superintendente da Emlur, Coriolando Coutinho.

O secretário de Gestão Governamental e Articulação Política, Dunga Júnior, o diretor Administrativo da Emlur, Renato Leitão, e o procurador Geral do PMJP, Vandalberto de Carvalho, também têm pretensões políticas e podem deixar os cargos para a disputa eleitoral no próximo ano. 

Já o prefeito de João Pessoa, Luciano Agra (PSB), que concorrerá à reeleição, não necessita se desincompatibilizar do cargo para entrar na disputa.

O chefe do Executivo municipal fica livre para decidir se faz a campanha estando no cargo ou se pede licença para se dedicar à disputa eleitoral. 

Correio da Paraíba

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.