Prefeitura de Monteiro afirma estar em guerra com a Cagepa

A Secretaria de Serviços Urbanos (SESUR) da Prefeitura de Monteiro divulgou hoje uma reclamação contra a ação da Cagepa no município. Segundo o titular da Pasta, Nal Nunes, a "Operação Tapa Buracos" da Secretaria já contabiliza mais de 1.700 buracos tapados em mais de 60 ruas da cidade. Em algumas vias de maior extensão, foram registrados 132 trechos recuperados com tamanho médio de 2,5 m2. Ele atribui a buraqueira à Cagepa.

"Em Monteiro, desde o início do mês de fevereiro, a Secretaria de Serviços Urbanos tem travado uma guerra diária, mandando pra linha de frente 16 homens divididos em oito equipes compostas de pedreiro e auxiliar, com o único objetivo de cumprir oito horas diárias de serviço tapando buracos abertos pela Cagepa nas vias públicas. A vítima dessa guerra, comum em todas as cidades do estado é uma só: a população", diz Nal.

O secretário prossegue: "Aparentemente, a operação ‘cava buraco’ da Cagepa está ganhando a guerra contra a operação ‘tapa buraco’ da Sesur. O ritmo com que se destrói os calçamentos em vários pontos da cidade é muito superior ao tempo e dinheiro gastos na sua recuperação", declarou.

Outro agravante citado pelo secretário é a substituição dos antigos medidores que ficavam instalados no chão da calçada e agora são colocados na parede externa das residências. Quando a tubulação de água passa do lado oposto da rua ao da residência, além do buraco, fica uma depressão. "Na prática, a Cagepa está ‘construindo’ centenas de quebra-molas invertidos", comentou o secretário.

A prefeita Edna Henrique prometeu entrar em contato com o diretor local da Cagepa na semana que vem para buscar um entendimento em relação ao problema. No caso de não se chegar a um acordo, a prefeita irá manter contato com os representantes do Ministério Público para que sejam tomadas as providências e caso necessário, será analisada a hipótese de moção de uma Ação Civil Pública por Obrigação de Fazer.

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.