Prefeitos acham essenciais os investimentos anunciados para o Pacto Social

Os mais de 150 prefeitos que participaram na manhã desta sexta (27) do lançamento do Pacto Social, em Campina Grande, aprovaram a iniciativa do Governo do Estado e afirmaram que os investimentos no valor de R$ 50 milhões serão essenciais para reduzir as desigualdades e elevar os índices de desenvolvimento da Paraíba.

O prefeito de Matinhas, Aragão Júnior, destacou que as parcerias firmadas com o Estado vão permitir que os municípios possam solucionar problemas históricos. “O Pacto pelo Desenvolvimento Social será uma revolução nas áreas da Saúde e Educação. Não temos dúvidas de que essa medida terá um papel de impacto na melhoria da qualidade de vida dos paraibanos. Acredito que o município de Matinhas será um dos primeiros assinar o pacto”, afirmou.

José Ivaldo, prefeito de Várzea, enfatizou que o pacto é o caminho mais rápido para chegar às ações do Governo na Saúde e Educação, a fim de melhorar a qualidade de vida da população.  Já o prefeito de Fagundes, Gilberto Dantas, disse que não se pode negar apoio a qualquer iniciativa que possa levar benefício para a comunidade.

O gestor de Boa Vista, Edvan Pereira Leite, ressaltou que o município tem o sexto melhor Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) no Estado e vai pactuar com o governo. “Queremos zerar a taxa de mortalidade infantil e acabar com o analfabetismo em Boa Vista. Por isso, vamos aderir ao Pacto Social”, revelou Edvan.

O prefeito de Pocinhos, Arthur Galdino, também a classificou o Pacto de Desenvolvimento Social como revolucionário, pois objetiva de forma apartidária e coletiva dar uma melhora na qualidade de vida principalmente aos setores mais pobres dos municípios.

Luciano Agra, prefeito da Capital paraibana, classificou a  iniciativa como oportuna para que os municípios possam evoluir do ponto de vista social e acrescentou que a Prefeitura da Capital tem sido inovadora na pactuação e no trabalho de valorização do desempenho.

 Repercussão-  O presidente da FIEP, Buega Gadelha, disse que o Pacto vai contribuir para o desenvolvimento social e, através do Sesi, pode ajudar no combate ao analfabetismo e na formação profissional dos paraibanos. Já o vice-presidente da CUT-PB, Marcos Henrique, enfatizou que o investimento de R$ 50 milhões nos municípios é positivo, pois vai gerar empregos e contribuir para a melhoria da educação e saúde dos trabalhadores e da população em geral.

Por sua vez, o bispo diocesano de Campina Grande, Dom Jaime Vieira Rocha, destacou que o Pacto é uma iniciativa “muito importante porque o governador está querendo contar com todas as forças e todos os municípios para desenvolver a Paraíba”. O religioso explicou que hoje qualquer cooperação celebrada requer uma contrapartida e acredita na superação dos índices sociais e uma vida melhor para a sociedade. 

TAGS

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.