Prefeito paga fiança de R$ 522 mil, decidida pelo STF, e é recebido com festa em Uiraúna ao deixar prisão

O ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal, estabeleceu a fiança de R$ 522,5 mil para a soltura do prefeito afastado de Uiraúna, Bosco Fernandes, preso em investigação sobre pagamento de propina em obra de adutora no município do Sertão paraibano.

O prefeito de Uiraúna havia sido preso pela Polícia Federal no dia 21 de dezembro de 2019 no âmbito da Operação Pés de Barro. Ele foi flagrado em vídeo recebendo propina de R$ 25 mil, os quais ele guardou na cueca para sair da sede do seu partido, onde recebeu o empresário da construtora responsável pela obra da adutora da região. A PF também registrou a entrega de propina em estacionamento de um supermercado. O dinheiro foi recebido por uma funcionária do gestor e as escutas telefônicas foram exibidas no Fantástico, da TV Globo.

Na época da operação, a Polícia Federal chegou a cumprir mandados de busca e apreensão em endereços do deputado federal Wilson Santiago, também investigado na Operação Pés de Barro.

Bosco Fernandes permanece afastado do cargo e não pode ter acesso aos prédios da Prefeitura de Uiraúna.

O jornalista Hyldo Pereira publicou um vídeo que mostra a festa preparada para a chegada do prefeito afastado Bosco Fernandes, em Uiraúna.

 

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.