Prefeito diz a professores que não pode brincar com dinheiro do povo

O feriado do Dia do Trabalho foi de agenda intensa para o prefeito de João Pessoa, Ricardo Coutinho (PSB). Depois de participar de solenidades relativas à integração temporal dos transportes urbanos em Alhandra e Bayeux, ele ainda visitou o Sesc Gravatá onde muitos trabalhadores aproveitavam o dia de descanso e, no início da noite, esteve presente à abertura do Festival de Cinema dos Países de Língua Portuguesa (Cineport), na Usina Cultural.

Ricardo concedeu entrevista ao Parlamentopb e voltou a comentar os efeitos da greve dos professores da rede municipal. Ele atribuiu ao sindicato da categoria, o Sintem, a responsabilidade pela suspensão do reajuste de 10% aprovado pela Câmara: "É uma questão lógica. Se você oferece algo a alguém e essa pessoa recusa, não tem para que insistir na oferta. É preciso levar em conta o cenário de crise que enfrentamos e o fato de nenhuma outra prefeitura da Paraíba ter concedido aumento", disse ele.

Ainda tratando da queda de braço com o Sintem, o prefeito garantiu que não há margem para ser negociada com o sindicato: "O reajuste foi estudado e representa o que podemos oferecer. Não demos 10% para barganhar. Não posso brincar com o dinheiro do povo porque o dinheiro da Prefeitura pertence ao povo".

A reportagem do Parlamentopb quis saber se o prefeito aceitaria manter o reajuste caso o Sindicato voltasse atrás na exigência de 20%. A resposta foi lacônica: "Não falo a respeito de hipótese. Quem tem que dizer isso é o sindicato".

Ricardo Barbosa – Outro fato comentado na entrevista foi a especulada visita do ex-líder do Governo na Assembleia, Ricardo Barbosa (PSDB). Ricardo Coutinho confirmou que realmente se encontrou com o ex-parlamentar durante um almoço no Centro Administrativo Municipal, mas não deu detalhes sobre o tema da conversa: "Foi uma conversa muito boa, mas eu aprendi a virar um túmulo".

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.