Prefeita de Alagoinha reclama de palavra cassada e eleição adiada

A prefeita de Alagoinha, Alcione Beltrão (PHS), procurou o Parlamentopb na manhã de hoje para reclamar da ingerência de seu adversário, Marcos Beltrão (PMDB) em ações governamentais a serem implantadas na cidade. Inicialmente, ela declarou que havia sido convidada, como prefeita de Alagoinha, a discursar ontem de manhã na solenidade de abertura da campanha da febre aftosa. Somente no momento em que já estava sentada à mesa, foi informada que não falaria: "Meu adversário cassou minha palavra. Fui excluída. O cerimonial combinou que eu falaria porque era a anfitriã. Somente na hora em que já estava na mesa, me disseram que eu faria uso da palavra".

Mais grave que os atropelos do cerimonial foi a denúncia feita por Alcione em seguida. Segundo ela, na noite de ontem um técnico do Projeto Cooperar lhe telefonou para dizer que a eleição do Conselho do programa, agendada para hoje, estaria cancelada. A mudança, segundo a prefeita, se dá também pela ingerência do adversário: " A reunião estava agendada para hoje e seria para reestruturar o Conselho do Cooperar. Estamos com todas as associações reunidas e foi cancelada a eleição também por motivação política. Imaginamos que como o ex-prefeito não tem maioria nas associações, pediu tempo para trabalhar melhor. Ele quer criar associações fictícias para concorrer. Estamos proibidos de fazer a eleição, são mais ou menos 30 pessoas, presidentes de associacões, igrejas e da prefeitura", disse.

A reunião, apesar de cancelada à noite, acabou acontecendo no Centro Cultural de Alagoinha porque não houve tempo hábil para avisar todos os representantes de associação. A eleição, apesar disso, não foi realizada, conforme determinação do Governo. A prefeita anunciou que virá a João Pessoa nesta terça-feira para manter uma reunião com autoridades governamentais e expor suas queixas.

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.