Porfírio nega ter feito gravação com Chico e o acusa de não dizer a verdade

O historiador Waldir Porfírio da Silva encaminhou no final da manhã de hoje ao Parlamentopb uma nota comentando os últimos acontecimentos da política paraibana. Ele foi acusado ontem pelo candidato do PCB ao Governo, Chico Oliveira, de ter gravado a conversa de ambos na qual o comunista dizia que o presidente de seu partido teria recebido R$ 400 mil pela ação que culminou com a cassação do ex-governador Cássio Cunha Lima (PSDB). Em sua nota, Porfírio nega que tenha feito a gravação e diz ter procurado o candidato ainda ontem para esclarecer o mal entendido.

"Infelizmente, enquanto agi como um homem de bem ao procurá-lo ontem e informar da gravação que estava sendo transmitida por numa emissora de rádio, Chico Oliveira age covardemente, apunhalando-me pelas costas e me acusando de ter sido o autor da gravação. Repito aqui o que disse a ele ontem na frente de Ramalho Leite, Rubens Nóbrega, João Costa, Gesiel Ataíde e alguns outros amigos: Não gravei a sua conversa no cafezinho, Chico, porque tenho coragem bastante de sustentar o que faço e o que digo", diz o texto.

Confira a íntegra:

Chico teve medo de dizer a verdade
 
Ontem, quando soube que uma emissora de rádio (101.7) estava passando uma gravação que continha minha voz e a do candidato a governador do PCB, Francisco Oliveira, mostrando o diálogo onde ele falava do fato grave de que o seu partido teria recebido dinheiro de José Maranhão para entrar com uma ação contra o governador Cássio, minha primeira atitude foi o de procurá-lo e avisá-lo do que estava acontecendo e afirmei que não tinha sido o autor da gravação. Agi, dessa forma, como uma pessoa séria, honesta, de bom caráter e de boa-fé.

Nunca humilhei Chico Oliveira. Desconfiava que o PCB, por ter sido usado por José Maranhão, por meio do advogado Marcelo Weick, não deixaria que a agremiação lançasse um candidato a governador. Foi Chico Oliveira que, em diversas vezes no cafezinho do Shopping Tambiá, afirmou categoricamente que se a direção nacional não homologasse a sua candidatura, ele abriria o bico e entregava a denúncia da entrega dos R$ 400 mil reais para o presidente nacional do PCB.

Tanto é assim que, em debate na TV Master com o jornalista Luis Torres, Chico Oliveira fez vários elogios ao historiador Waldir Porfírio por ter contado a história dos comunistas na Paraíba. Essa não é uma atitude de quem sofreu “humilhação”.

Infelizmente, enquanto agi como um homem de bem ao procurá-lo ontem e informar da gravação que estava sendo transmitida por numa emissora de rádio, Chico Oliveira age covardemente, apunhalando-me pelas costas e me acusando de ter sido o autor da gravação. Repito aqui o que disse a ele ontem na frente de Ramalho Leite, Rubens Nóbrega, João Costa, Gesiel Ataíde e alguns outros amigos: Não gravei a sua conversa no cafezinho, Chico, porque tenho coragem bastante de sustentar o que faço e o que digo.

Ontem mesmo perguntei ao Chico de Oliveira porque foi ao ar a inserção do PCB fazendo acusações contra o candidato Ricardo. Ele respondeu, na frente de todos os que estavam presentes ao cafezinho que não foi o partido. Então fica o questionamento: Se não foi o PCB a autoria da inserção, porque não pedir a justiça eleitoral que investigue a autoria do ato ilícito? Será que Chico novamente está “brincando” com coisa séria ou está escondendo a verdade que ele sabe e que está por trás dos fatos?
 
Waldir Porfírio da Silva

TAGS

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.