Allysson Teotonio

Jornalista, publicitário e fotógrafo


“Por que que a gente é assim?”

Sempre à frente do seu tempo, Cazuza escreveu, mesmo sem saber, alguns versos para os candidatos à presidência do Brasil.

Para Bolsonaro – “Eu tô cansado de tanta babaquice, tanta caretice. Desta eterna falta do que falar”.

Para Alkimin – “Pra que usar de tanta educação. Pra destilar terceiras intenções”.

Para Ciro – “Pequenas porções de ilusão. Mentiras sinceras me interessam. Me interessam”.

Para Lula – “Meu partido é um coração partido.

E as ilusões estão todas perdidas. Os meus sonhos foram todos vendidos. Tão barato que eu nem acredito. Ah, eu nem acredito”.

Para Meirelles – “Se eu te escondo a verdade, baby, é pra te proteger da solidão”.

Para Daciolo – “Eu vou pagar a conta do analista pra nunca mais ter que saber quem eu sou”.

Para Marina – “Invento desculpas, provoco uma briga, digo que não estou”.

Para Álvaro Dias – “Brasil, mostra tua cara. Quero ver quem paga pra gente ficar assim”.

Para Amoêdo – “A burguesia quer ficar rica. Enquanto houver burguesia não vai haver poesia”.

Para Boulos – “Meus heróis morreram de overdose. Meus inimigos estão no poder. Ideologia! Eu quero uma pra viver”.

Para Vera Lúcia – “Faço promessas malucas. Tão curtas quanto um sonho bom”.

Para Goulart Filho – “Eu vejo o futuro repetir o passado. Eu vejo um museu de grandes novidades”.

Para Eymael – “Lá, lá, lá, lá, lá… Faz parte do meu show”.

“Grande pátria desimportante. Em nenhum instante eu vou te trair. Não, não vou te trair”.

Viva Cazuza!

Comentários