Política cultural de Cartaxo incendeia debate na Câmara

Vitaminada com o reforço de Raoni Mendes (PDT), a oposição tem redobrado os esforços para criticar a gestão do prefeito da capital, Luciano Cartaxo (PT). Hoje de manhã, o pedetista abriu os trabalhos, na tribuna, citando trechos do discurso do gestor no início do ano legislativo, semana passada, e aproveitou para reclamar dos investimentos feitos pela prefeitura na contratação de artistas de renome nacional para os eventos realizados na capital da Paraíba. 
 
"Foi um discurso velhaco. Lembro com clareza quando o prefeito se referiu às festas como grandes realizações que arrastam multidões. Tamanho equívoco! Quando candidato, em 9 de setembro de 2012, o então candidato disse que faria fortes investimentos para dar mais visibilidade aos nossos artistas. Nossa cultura não é produzida fora daqui. Valorizar nossos artistas é uma demonstração de respeito ao que é nosso! Pesquisei os semanários oficiais e vi que o prefeito confunde festa com cultura. Vamos aos números: de outubro de 2013 a janeiro deste ano, em quatro meses, 90 artistas paraibanos participaram de eventos da prefeitura. Eles receberam R$ 230.850,00 em cachês. Parece uma boa cifra, mas só parece. Os artistas nacionais, no mesmo período, só com Kelly Key, Padre João Carlos, Sambô e Natiruts, foram R$ 586.890,00. Só quatro artistas que receberam mais que o dobro do que foi destinado a 90 paraibanos", disse Raoni, encerrando: "João Pessoa, eu também me enganei".
 
O discurso de Raoni motivou a ida de Bira Pereira (PT), que lamentou a crítica do colega e disse estranhar que ela só tenha sido feita depois de um ano: "Mas, deve haver um fato determinante para isso", ironizou o petista. Em seguida, o líder governista na Câmara citou que "nenhuma política de turismo sustentável se faz em qualquer capital sem eventos e shows. A maioria deles já constava no calendário da cidade e tem sido importantíssimo fazer investimentos neste segmento. Muita gente reclama dos shows, mas não vai aferir a satisfação da população". Bira afirmou que o Ministério do Turismo e o site Trip Advisor citam João Pessoa como um destino que desponta no cenário nacional com competitividade turística: "Isso não acontece à toa. Precisamos de uma política de eventos. A festa da Luz em Guarabira teve atrações nacionais e eu não vi um vereador levantar a voz contra o prefeito Zenóbio Toscano. Em Patos, é a mesma coisa. A política de eventos não é apenas a festa, mas tudo que é envolvido e os setores da economia que são impulsionados com ela".
 
No mesmo diapasão de defesa do prefeito, se pronunciaram, em apartes, Marco Antônio, Dinho, Luiz Flávio e Fuba, entre outros. Luiz Flávio afirmou que existe um "custo mercadológico" que impulsiona os cachês de cantores renomados e que a prefeitura obedece a esta lógica, não havendo irregularidade nas contratações.

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.