Policiais civis paralisam atividades no dia 8 e admitem greve

Os policiais civis da Paraíba decidiram realizar uma paralisação por 24 horas no dia 8 de outubro. A mobilização vai se dar a partir das 8 horas com um café da manhã em frente ao Palácio da Redenção, sede do Governo da Paraíba. A deliberação foi tomada durante uma em assembleia geral extraordinária ontem à na sede da Associação da Polícia Civil do Estado. A categoria se queixa da ausência de contra proposta por parte do Governo do Estado também rejeitou a ideia de devolução de 50% da gratificação por risco de vida, acenada pelo Governo. O montante significaria aproximadamente R$ 3 mil para os delegados e cerca de R$ 300 para os agentes e escrivães de polícia.

Pelo que foi discutido ontem, a Aspol desautorizou a Associação de Defesa das Prerrogativas dos Delegados a falar em nome dos demais policiais civis e também orientou os escrivães de polícia civil para que somente realizem os atos dos inquéritos policiais após o devido ato ordenatório (despacho), protocolando todos os procedimentos para o Delegado de Polícia. Os agentes de investigação foram orientados a só procederem as investigações mediante a competente ordem de missão, não devendo desempenhar as funções de escrivão, até deliberação em contrário.

Ainda na assembleia de ontem foi decidido que os policiais civis esperam até o dia 14, data prevista de apresentação de uma contraproposta aos delegados, por um desfecho para os pedidos salariais. Caso o Governo não apresente, a greve será iniciada no dia 15. Está marcada uma outra assembleia para as 15 horas do dia 15, para deliberar sobre os rumos do movimento.
 

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.