Polícia prende criminosos que atacavam entregadores de produtos eletrônicos

A Polícia Civil da Paraíba deflagrou, na manhã desta quinta-feira (31), a operação “Rapina” e desarticulou um grupo criminoso especialista em assaltar motoboys que transportavam produtos comprados pela internet. Em três meses, o grupo teria atacado os motociclistas por 16 vezes, causando um prejuízo superior a R$ 150 mil a duas empresas.  Entre os presos, há um deficiente físico, que, apesar de ser cadeirante, conduzia um veículo adaptado para dar fuga aos comparsas após praticarem o roubo.

A operação foi conduzida pela Delegacia de Crimes Contra o Patrimônio de João Pessoa (DCCPAT/JP). O delegado Tércio Chaves, responsável pela investigação, informou que os criminosos agiam contra duas empresas que vendiam aparelhos eletrônicos e eletroportáveis pela internet.

Os suspeitos conheciam a rota de trabalho feita pelos motoboys. Os funcionários das lojas eram seguidos desde o momento que saiam das empresas até a hora de entregar os produtos na casa dos compradores. No entanto, durante esse trajeto, eram abordados, rendidos e roubados.

“Os criminosos praticavam esses roubos no momento que os entregadores saíam para fazer a entrega dos produtos adquiridos pela internet, que, em sua maioria, eram celulares de marcas caras. Assim que tivemos conhecimento desse fato, passamos a investigar o caso. Chegamos à identificação dos suspeitos e representamos pela prisão preventiva, o que foi decretado pela justiça e, na manhã de hoje, demos cumprimento aos mandados”, declarou o delegado Tércio Chaves.

Os presos foram identificados como João Paulo da Silva Rodrigues, de 35 anos, deficiente físico e morador do bairro de São José, em João Pessoa; e Reinaldo Wendesson de Oliveira Pereira, 20 anos, residente na comunidade Cordão Encarnado, no bairro do Varadouro, em João Pessoa.  Ainda foi decretada a prisão preventiva de Jonas Félix Pontes de Sousa, mas ele foi assassinado no último final de semana, no bairro de Varadouro, em João Pessoa.

Tanto Jonas quanto João Paulo já possuíam histórico criminal por prática de tráfico de drogas. Já Reinaldo não tinha passagem pela polícia. Ele foi preso na manhã desta quinta-feira após a polícia ter acesso a imagens que mostram Reinaldo, na companhia de outro homem ainda não identificado, assaltando um entregador. A dupla estava a bordo de uma moto e de posse de um revólver, que foram encontrados na casa de Reinaldo. Os policiais também localizaram uma máscara que, possivelmente, também foi usada durante os roubos.

A moto usada por Reinaldo pertence à companheira dele, que também foi levada para a delegacia a fim de ser ouvida e prestar esclarecimentos. De acordo com o delegado Tércio Chaves,  a mulher também poderá ser indiciada, caso seja comprovada a participação dela nos crimes praticados pelo marido.

“Iremos fazer os interrogatórios dos presos e concluir o inquérito. O caso será comunicado à justiça. Os presos serão encaminhados para um presídio, onde irão cumprir a prisão preventiva e ficar à disposição da justiça”, detalhou Tércio.

O delegado da DCCPAT, Braz Marroni, disse que a polícia está focada em desarticular os crimes patrimoniais no Estado. “Essa investigação foi iniciada, captamos imagens que indicavam a presença dos suspeitos e pedimos a prisão preventiva, que foi cumprida hoje”, declarou.

A operação Rapina recebeu esse nome em alusão à ave que segue suas vítimas para verificar o melhor momento para realizar o ataque, como agiam os presos na manhã desta quinta.

Comentários