PMDB suspende processo de dissolução de diretório em São Bento

O presidente estadual do PMDB, Antônio Souza, suspendeu o processo que pede a dissolução do diretório municipal de São Bento. Ele atendeu pedido apresentado pela defesa, sob a alegação de que, como a Câmara de Vereadores de São Bento está em recesso, os prazos deveriam ser suspensos.
De acordo com o regimento da Câmara de Vereadores, o recesso vai de 20 de junho até 20 de agosto. Como o estatuto é omisso, o presidente do PMDB decidiu aplicar o artigo 45 do código de ética, que prevê a suspensão dos prazos durante o recesso parlamentar. Portanto, até 20 de agosto estão suspensos os prazos do processo que pede a dissolução do diretório.

O pedido de dissolução encaminhado ao diretório estadual foi apresentado pelo prefeito Galego de Souza e pelos vereadores do PMDB de São Bento. Eles alegam que o deputado Márcio Roberto, que controla o diretório, teria desobedecido à orientação do partido ao aderir à base do governador Ricardo Coutinho (PSB) na Assembleia Legislativa, com poderes inclusive para nomear peemedebistas para cargos no governo.

“Ao ser empossado o novo governador da Paraíba, Ricardo Coutinho, a orientação da liderança partidária do PMDB na Assembleia Legislativa foi para que o partido permanecesse na oposição. Mesmo assim, o deputado Márcio Roberto e os integrantes do diretório municipal de São Bento resolveram aderir à atual gestão, dando-lhe suporte político”, diz o processo.

Outra denúncia é que vários peemedebistas ligados a Márcio Roberto foram nomeados para ocupar cargos no governo do Estado, em troca do apoio do parlamentar na Assembleia Legislativa. “Nesta relação podemos constatar as nomeações de Josué Guedes Barbosa para o cargo de diretor de operações do Detran e de Luso Estevão Fernandes, para o cargo de chefe do Posto de Trânsito do Detran de Paulista”, ressalta o documento.

 

Jornal da Paraíba

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.