PMDB decide desfiliar Rosinha Garotinho, diz vereador

 O PMDB de Campos (RJ) decidiu remover a prefeita da cidade, Rosinha Garotinho, de seu quadro partidário, segundo o vereador peemedebista Jorge Magal.

 
Ele afirma que o ofício sobre a desfiliação chegou na semana passada à ex-governadora e mulher do deputado federal Anthony Garotinho (PR-RJ), fora do PMDB desde 2009.
 
Aliado do casal Garotinho, o vereador Jorge Magal também foi enquadrado pela legenda.
 
Os dois ainda podem recorrer da decisão.
 
Segundo o político, paira contra ele e Rosinha acusação de apoiar candidatos do PR no pleito eleitoral passado –Fernando Peregrino, aspirante ao Palácio Guanabara, e Garotinho, que ganhou uma cadeira na Câmara pelo PR.
 
Magal nega. A Folha telefonou para a prefeita, mas não conseguiu contato.
 
"Nós não pedimos para sair. Foram eles que quiseram", disse o vereador Magal –que tenta reverter a desfiliação.
 
HISTÓRICO
 
Anthony Garotinho governou o Rio entre 1999 e 2002, eleito pelo PDT e, em 2000, filiado ao PSB.
 
Em 2003, ele integrou o quadro do PMDB. Trocou de partido mais uma vez há dois anos, dizendo-se traído pelo peemedebista Sérgio Cabral, ex-aliado e atual governador do Rio.
 
Sua mulher, Rosinha, ficou no PMDB. Já a filha Clarissa, eleita deputada estadual em outubro, seguiu o pai rumo ao PR em 2009.
 

Folha Online
 

TAGS

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.