Plano de Desenvolvimento planeja a Grande João Pessoa para 15 anos

Técnicos e especialistas de universidades e de entidades representativas da sociedade, além de agentes político-administrativos do governo do estado e de doze municípios da Grande João Pessoa, vão se mobilizar na elaboração de um "Plano Diretor de Desenvolvimento Integrado Metropolitano", com o objetivo de traçar estratégias para serem colocadas em prática nos próximos 15 anos.

O chamado "Plano de Desenvolvimento Metropolitano" (PDM) deverá ficar pronto em dezembro de 2010 e passará a ser executado a partir da próxima administração estadual, em janeiro de 2011, planejando e executando projetos e ações até o ano de 2025, em prol do crescimento econômico sustentável dos 12 municípios que compõem a Região Metropolitana da Capital: Alhandra, Bayeux, Caaporã, Cabedelo, Conde, Cruz do Espírito Santo, João Pessoa, Lucena, Mamanguape, Pitimbu, Rio Tinto e Santa Rita.

“Esse plano terá uma perspectiva de uma década e meia, com diretrizes concretas envolvendo as 12 cidades polarizadas por João Pessoa, visando as prioridades de desenvolvimento sustentável dentro da realidade de cada cidade, no campo da habitação popular, da destinação dos resíduos sólidos (lixo), do transporte público de massa, da segurança pública, da saúde e da educação”, explica o vereador Tavinho Santos (PTB), líder do prefeito Ricardo Coutinho (PSB) na Câmara Municipal de João Pessoa (CMJP) e presidente do Parlamento Comum da Região Metropolitana de João Pessoa (Parlacrem-JP).

Como presidente do Parlacrem, Tavinho estará encaminhando uma solicitação nesse sentido ao governador José Maranhão (PMDB) nesta terça-feira (10). “Para o "Plano de Desenvolvimento Metropolitano" é necessário o total envolvimento da administração estadual, juntamente com as prefeituras e as câmaras municipais das 12 cidades da Região Metropolitana, além dos técnicos e pesquisadores das universidades”, enfatiza Tavinho.

O PDM, segundo o vereador, também servirá para as futuras administrações estaduais como parâmetro na criação de outros pólos de desenvolvimento do estado. “Esse primeiro plano de desenvolvimento, a longo prazo, marcará a união entre os municípios da Região Metropolitana da Capital, consolidando estratégias e fortalecendo economicamente essas cidades. No futuro, será um modelo formatado para as outras microrregiões paraibanas”.

Tavinho lembra que dentro do PDM haverá estratégias específicas, como as ações de saneamento básico e de abastecimento de água e de mobilidade urbana, com a ampliação das linhas férreas. “Temos que agir administrativamente pensando na Região Metropolitana como um todo”, ressalta.

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.