Peron Japiassú acusa adversários de compra de voto e aliciamento de eleitores

O vereador campinense Peron Japiassú acusou o secretário de Planejamento de Campina Grande, Alexandre Almeida, de não ter participação nas rotinas do Partido dos Trabalhadores, cargo para o qual ambos se candidataram. O vereador declarou que Alexandre Almeida não tem uma reputação ilibada para concorrer a um cargo tão importante e acrescentou que os petistas campinenses não podem entregar o partido nas mãos de "forasteiros".

"É como se fôssemos trazer Bin Laden para governar o Brasil. Será que não temos homens de bem nessa cidade? Qual o passado do candidato? Ele não tem vida política e nem orgânica no PT. A briga é de David contra Golias. Eu estou com o povo e ele tem dito que não se vende. Eu digo para que recebam as benesses que estão dando", disse Peron.

Em entrevista concedida à Campina FM, ele revelou que vem sendo pressionado para desistir da disputa e foi além: denunciou que votos estão sendo trocados por dinheiro, mas disse que há petistas que são incorruptíveis.

Ontem, o sociólogo e candidato à  presidência do PT campinense, Raimundo Cajá, falou de suas expectativas para as eleições internas e disse que está confiante na vitória. O presidenciável criticou o fisiologismo petista no município e no estado, e reiterou a condição de único candidato contrário à permanência da aliança com o PMDB.

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.