PCdoB ameaça romper com PSB e se aproxima de Maranhão

O secretário de Formação e membro da Comissão Política do PCdoB, Simão Almeida, garantiu neste sábado (09.10) que a legenda ainda não está discutindo apoios para as eleições de 2010. Entretanto, deixou claro que, caso o PSB decida se coligar com o PSDB e o ex-governador Cássio Cunha Lima, o PCdoB não apoiará a legenda socialista nas eleições do próximo ano.

Durante o 12º Congresso Estadual do PCdoB, em João Pessoa, Simão afirmou ainda que o partido segue a orientação nacional, que é de apoiar as legendas da base do presidente Lula (PT), visando à eleição da ministra Dilma Rousseff para presidente. Esse projeto conta com o apoio do PMDB nacional e da Paraíba. O congresso deste sábado não definiu o nome do candidato a governador que contará com o apoio da legenda, apenas as diretrizes para 2010.

Já o presidente estadual do PCdoB, Agamenon Sarinho, disse neste sábado que é preciso um esforço para garantir a unidade do campo de apoio ao presidente Lula, na Paraíba. “Vamos tentar construir a unidade desse campo”, disse. Caso não haja unidade, o partido vai adiar para 2010 a decisão sobre quem irá apoiar.
 
Maranhão afirma que PCdoB será fundamental para o projeto político de 2010
 
O governador José Maranhão afirmou que o PCdoB será fundamental para o PMDB e partidos aliados 2010. Ele, que participou neste sábado (10.09) do 12º Congresso Estadual do PCdoB, em João Pessoa, afirmou que o partido tem um compromisso com a nacional, “além de estarmos na mesma base do governo Lula”. “É importante essa unidade das forças democráticas e populares”, ressaltou Maranhão, que “parou” o congresso ao chegar.

Perguntado quando começará a discutir, efetivamente, 2010, o governador repetiu o que tem dito em entrevistas: “Para nós que estamos no governo é reconstruir a Paraíba. Nós conversamos sobre política, informalmente. O político que disser que não conversa sobre política, em determinados momentos, não está sendo sincero. Agora, as decisões, a agenda política só acontecerá a partir da realização das convenções em 2010”.

O compromisso agora, garantiu Maranhão, é organizar as contas do Estado, retomar as obras e prestar bons serviços à população. Sobre as estratégias para 2010, o governador disse as mesmas seguirão princípios, que são a coerência e a identidade dos partidos que integram a Frente Popular Democrática. Para ele, os meios utilizados têm de ser coerentes com os fins a serem atingidos.

“Nós não podemos fazer acordo a qualquer preço. É preciso ter um compromisso ético com o programa do partido e com a própria conduta que orienta nossas lideranças”, ressaltou o peemedebista, que esteve acompanhado no evento pelos deputados Manoel Júnior e Raniery Paulino, além do secretário de Articulação Governamental, petista Anselmo Castilho.

Maranhão agradeceu ao convite do PCdoB para participar do evento. A legenda integra os quadros do governo na figura do secretário Ademir Melo (Planejamento) e outros auxiliares e, como disse o governador, PMDB e PCdoB estão interligados, não só pelos compromissos político-partidários, mas também pela identidade ideológica que unem os partidos da base aliada em torno de um projeto nacional. “Nós não queremos fazer aliança com qualquer partido, com partidos que contrariem o projeto maior, que é o nacional”.

 

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.