PB pode receber multinacional que comprará milho do estado e o abastecerá com ração

Uma empresa multinacional manifestou interesse em comprar grãos, principalmente o milho, produzidos na Paraíba. O secretário estadual de Desenvolvimento de Agropecuária e da Pesca, Rômulo Montenegro, reuniu-se recentemente no Recife, em Pernambuco, com os representantes da Ingredion para uma parceria entre a empresa e o Estado.

Os representantes da empresa, Joarez Duran, Paulo Lacerda, Leandro Lozano Gonçalves e Flávio Santos, buscaram do secretário Rômulo saber da possibilidade de a Paraíba adotar uma política pública, nas áreas de produção e fiscal, que possibilite esse negócio.

A multinacional é líder em soluções em ingredientes de origem natural, com clientes em mais de 100 países. Ela atende mais de 60 diferentes setores da indústria, como alimentos, bebidas, papel, nutrição animal, farmacêutico, higiene pessoal, entre outros, quer comprar grãos, principalmente milho, produzido na Paraíba.

De acordo com o secretário, a Paraíba terá condições de atender a demanda da Ingredion a partir de 2019, quando, com o Canal das Vertentes Litorâneas, o estado expandirá a área de produção de grãos, principalmente milho.

Outras empresas estão interessadas na compra do milho paraibano, mas a Ingredion desponta com maior viabilidade porque preencheria toda a cadeia, comprando o milho e vendendo a ração, o Refinazil, proteico utilizado no confinamento de bovinos de corte do estado. A propósito a Paraíba é o estado que mais confina bois, e abastece o mercado interno com carne, inclusive beneficiando-se de uma política pública específica para formalizar o abate.

Assim, toda a cadeia econômica será fechada com a chegada ao estado de uma empresa compradora de milho e fornecedora da ração.

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.