Mário Tourinho

Administrador, pós-graduado em Planejamento Operativo, já atuou na administração pública federal, estadual e municipal


Os caminhos do transporte público (I)

Muito oportuno o evento realizado esta semana pelo Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de João Pessoa (SINTUR-JP) para debater “Os caminhos do transporte público – desafios e soluções”, no qual contou com a presença de técnicos do setor, em especial da Semob-JP, inclusive do superintendente Adalberto Araújo, e, também, daquele profissional que, sem dúvida, é o mais reconhecido, porquanto igualmente titulado como doutor na matéria, professor Nilton Andrade. 

Porém, como que para evidenciar que a crise é real e nacional, o SINTUR-JP convidou e contou com a palestra do presidente do Sindicato das Empresas do Transporte Urbano de Fortaleza-CE, Dimas Barreiro, que, no evento, fora antecedido pelo presidente da entidade coirmã daqui de João Pessoa, Alberto Pereira Nascimento.

Assim ocorrendo, Dimas Barreiro muito enfatizou o que dissera Alberto Pereira relativamente à contínua diminuição anual dos passageiros, que, no caso  pessoense, teve em 2014 um quantitativo de 104 milhões, em 2018 já caíra para os 80 milhões, enquanto que a estimativa para 2019 é a de que essa persistente queda faça com que só se alcance 75 milhões. E isto tem acontecido em contraste com o aumento da frota, que implica em mais operadores a serem custeados, como já destacara Isacc Moreira, diretor institucional do SINTUR-JP, nas palavras de abertura do evento.

Essa crise, entretanto, demonstra-se maior se nos reportarmos aos finais dos anos 90, em que o quantitativo anual de passageiros transportados chegou a ser de 120 milhões para uma frota operante de 357 ônibus. Hoje, conforme estimativa para 2019, João Pessoa registrará 75 milhões de passageiros com uma frota de 475 veículos, 118 a mais que naquela época. E, da parte dos passageiros anualmente transportados, caiu de 120 milhões para 75 milhões, o que quer dizer: 45 milhões a menos. Repetindo: 45 milhões  a menos!

Comentários