Orçamento 2011 preparado por Maranhão está cheio de “minas”

Um relatório que já está disponível para estudo dos técnicos da equipe de transição do governador eleito Ricardo Coutinho (PSB) dá uma dimensão do que poderá esperar a próxima gestão do Estado em termos de “bombas” armadas nos frios números do Orçamento projetado para 2011 – que está estimado em pouco mais de R$ 7 bilhões. A rigor, há um pequeno crescimento em relação a 2010, executado sobre uma projeção de R$ 6 bilhões -, mas importantes áreas sofrem cortes profundos da tesoura da Secretaria de Planejamento do Governo Maranhão III.

Em praticamente todas as áreas, há cortes consideráveis de recursos. Saúde (tem R$ 61,7 milhões de redução) segurança (terá a menos mais de R$ 50 milhões) e educação (com tesouradas em toda sua estrutura), apontados como os mais prioritários pelo atual governo – têm, no próximo ano, um cenário preocupante.

“Precisaremos ter bastante cuidado para evitar o caos plantado como “minas” dentro de um orçamento cheio de falhas”, recomendou Ricardo Coutinho à sua equipe de transição.

Na última quinta-feira, em reunião com deptutados estaduais, consciente dos problemas criados, o governador eleito pediu que se adie a votação do Orçamento para o início do próximo ano. “É uma cautela saudável e necessária”, garante Ricardo.

Barbosa fará denúncia na Assembleia

O deputado Ricardo Barbosa (PSB), líder da oposição, promete fazer um duro pronunciamento esta semana contra as “bombas” do Orçamento para o próximo ano. “É absurdo e inconcebível”, critica o deputado, confessando-se escandalizado pela forma como a equipe do atual governo vem conduzindo um processo de transição e de transferência de problemas.

Ricardo Barbosa lamenta que a equipe do atual governo crie artificialmente essas manobras no Orçamento 2011 para tentar prejudicar o Estado e seu povo,  exatamente a partir do primeiro ano do governo de Ricardo Coutinho.  (MA)

Raniery diz ser “teoria da conspiração”

Para o deputado Raniery Paulino (PMDB), assim como o colega Ricardo Barbosa, muitos integrantes da equipe do governador eleito Ricardo Coutinho estão se envenenando por uma “ridícula teoria da conspiração”.

Para Paulino, existem claros exageros na reação a uma proposta orçamentária em estudo para o próximo ano e chama a atenção de que caberá à Assembleia, dentro de suas prerrogativas, fazer as alterações que considerar plausíveis no projeto de lei.

Segundo o deputado do PMDB, não há surpresas no tipo de postura adotada por Ricardo Barbosa, mas ele lamenta que, à essa altura,  “se faça tanto barulho por nada” no atual processo de transição. (MA)

Jornal da Paraíba

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.