Oposição se retira das comissões na Câmara da capital

Os cinco vereadores de oposição na Câmara de João Pessoa decidiram tomar uma atitude radical e encaminharam hoje ao presidente Durval Ferreira (PP) um ofício solicitando a saída de todos das comissões temáticas da Casa Napoleão Laureano. No documento, assinado pelo líder do bloco, Fernando Milanez (PMDB) e pelos colegas Eliza Virgínia (PSDB), Mangueira (PMDB), Marcos Vinícius (PSDB) e Tavinho Santos (PTB) os motivos alegados para o desligamento são queixas em relação ao comportamento dos governistas:

"A bancada do Governo, devido à sua ampla maioria, tem se conduzido de forma arbitrária e açodada em relação à bancada oposicionista. Esse oportunismo não condiz com as tradições democráticas que ditam as normas de convivência entre contrários, denegrindo o respeito mútuo que deve prevalecer entre situação e oposição. O status quo tem colaborado para o acirramento dos ânimos pondo em risco o decoro parlamentar e, consequentemente, a dignidade desta egrégia Casa. Assim, os vereadores de oposição decidiram, formalmente, se retirar das comissões nas quais são membros, visando pelo menos com este gesto manter o respeito próprio que o mandato parlamentar idoneamente exige, a fim de permanecerem dignos portavozes do povo que os elegeu", diz o ofício que pode ser conferido na íntegra no anexo.

Por telefone, o vereador Fernando Milanez disse ao Parlamentopb que a gota de água para a crise foi a aprovação da lei que cria o Sistema Municipal de Áreas Protegidas de João Pessoa (SMAP). Os oposicionistas se queixam de que a matéria teve sua tramitação irregular, sem a apreciação do presidente da Comissão de Meio Ambiente, Tavinho Santos. No dia da votação, sob as queixas do petebista, o bloco adversário do prefeito da capital se retirou do plenário e a lei acabou sendo aprovada pela unanimidade dos aliados.

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.