Oposição a Ricardo forma frente contra “delinquente municipal”

Cláudia Carvalho

O professor Francisco Barreto (PTN) revelou hoje ao Parlamentopb.com.br estar em curso a criação de uma frente de oposição ao prefeito da capital paraibana, Ricardo Coutinho (PSB). O grupo inclui, além do PTN, o PHS de José Rodrigues Filho e o PSOL de Marcos Dias. Outra professora convidada para se alinhar com os oposicionistas foi Lourdes Sarmento, do PCO.

"Nós vamos nos reunir na semana que vem para discutir estratégias de contestação à atual administração de João Pessoa. O que estamos vendo é uma delinquência municipal e não podemos manter silêncio diante de tamanhos disparates", assegurou Barreto.

Ele citou o caso das rachaduras na Estação Ciência e a contratação de assessores como exemplos de ações equivocadas de Ricardo Coutinho.

"A delinquência municipal contratou 8.600 assessores às vésperas da eleição e influenciou diretamente no resultado do pleito, elegendo vereadores ligados ao grupo e o próprio prefeito. Os efeitos desses servidores pro-tempores incorporados à administração são devastadores num pleito. Estimamos que cada servidor cooptado influencie pelo menos 20 pessoas diretamente ligadas a ele. Isso dá um total de 160 mil votos, aproximadamente. O Ministério Público precisa apurar isso", enfatizou Barreto.

Ainda segundo o ex-candidato a prefeito pelo PTN, a frente de oposição deve traçar estratégias rumo a 2010, definindo como cada partido vai se posicionar e os cargos que devem ser buscados no pleito do ano que vem.

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.