Operação prende 12 pessoas e apreende quase 26 mil litros de combustível

Em um trabalho conjunto com o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado) do Ministério Público Estadual, a Policia Rodoviária Federal deflagrou hoje de manhã a Operação Sangria para o cumprimento de 11 mandados de busca e apreensão expedidos pelo juiz da 2ª Vara Criminal de Cabedelo, João Machado de Souza Júnior.

Foram “estourados” 11 (onze) pontos de estocagem e venda clandestina de combustíveis, que funcionavam em casas de diversos bairros da Capital e nas cidades de Santa Rita, Mamanguape, Alhandra, Pedras de Fogo, Cabedelo, Gurinhém e Ingá. Em decorrência disso, 12 pessoas foram presas em flagrante por incursão no Art. 1° da Lei 8176/91, por crime contra a ordem econômica "adquirir, distribuir e revender derivados de petróleo, gás natural e suas frações recuperáveis, álcool etílico, hidratado carburante e demais combustíveis líquidos carburantes, em desacordo com as normas estabelecidas na forma da lei.”

Segundo a PRF, trata-se de uma quadrilha organizada especializada no furto, adulteração, estocagem e venda de combustíveis que tem atuado a partir do porto de Cabedelo,nas proximidades das distribuidoras ali existentes. Os motoristas dos caminhões tanques furtavam quantidades que variavam de 100 a 300 litros do combustível transportado, vendendo a receptadores que acondicionavam o produto em recipientes de 20 a 50 litros e transportavam em veículos de passeio até locais de estocagem e venda que funcionam como postos clandestinos de abastecimento.

Ainda de acordo com as informações oficiais, a atuação dessa quadrilha formava uma sequência de ilicitudes. Começava com os motoristas dos caminhões tanques que violavam os lacres dos tanques, furtavam o combustível e posteriormente compensavam essa quantidade adicionando outros líquidos (provavelmente água) ao tanque, o que adulterava as características do combustível destinados os postos. As irregularidades seguiam com os compradores, que fizeram a receptação do combustível roubado, transportavam o produto de forma inadequada e perigosa, colocando em risco a vida de todos os usuários da via pública, pois esses veículos são verdadeiras “bombas” ambulantes, pondo em risco a vida de toda a vizinhança dos locais onde estocam, e finalmente a vendendo o produto do furto a consumidores.

O trabalho foi iniciado a partir exatamente do temor da população. Dos moradores das imediações desses depósitos clandestinos partiram várias denúncias para a Central de Operações da Polícia Rodoviária Federal (telefone 191) temerosos com o perigo iminente de explosão e incêndio a que estavam expostos. Seguiu-se o levantamento de todo o modo de operar dos infratores pelo Núcleo de Inteligência da PRF. Constatadas as evidências, levou-se ao conhecimento do MPE-GAECCO que solicitou a continuação do acompanhamento e a coleta de provas e solicitou à Justiça os mandados hoje cumpridos e a constatação dos crimes.

Resultados – Foram presas 12 pessoas e apreendidos 25.907 litros de combustíveis (gasolina e diesel), um caminhão tanque, duas armas, munições calibre 12 e 38, 113 tambores (bambonas), grande quantidade de garrafas tipo pet, vários lacres utilizados para substituir os originais dos caminhões tanque, 29 notas fiscais de postos, além de funis, mangueiras e outros utensílios empregados na atividade. O material e pessoas presas foram entregues nas Delegacias de Polícia Civil mais próxima.

Na Operação foram empregados 60 (sessenta) policiais rodoviários federais e 15 viaturas.

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.