Operação faz 20 prisões por tráfico e apreende três adolescentes

Vinte pessoas foram presas hoje, de acordo com informações da Secretaria da Segurança e Defesa Social, que em parceria com a Polícia Militar desencadeou na manhã de hoje uma operação denominada de "Tarrafa de Rufo" no Cariri paraibano. Foram realizadas apreensão de drogas, prisões de envolvidos com o tráfico de entorpecente e a apreensão de adolescentes, entre eles uma garota com droga na bolsa.

Paralelo a ação policial foi realizado um pente fino na Cadeia Pública de Monteiro. A operação recebeu o nome de "Tarrafa de Rufo" em referência a um tipo de pesca onde o peixe atraído para a rede. Segundo a delegada Tatiana Matos, uma das coordenadoras da operação, foram apreendidas cocaína, crack e maconha, além de uma balança de precisão para pesar a droga. Foram presas 20 pessoas, sendo seis mulheres e apreendidos três adolescentes, inclusive uma garota.

De acordo com a delegada, os homens estão sendo recolhidos nas cadeias públicas de Monteiro e Prata, enquanto que as mulheres serão transferidas para Patos e Campina Grande. Os adolescentes serão levados para o Lar do Garoto, também em Campina Grande.

Até às 10h, a polícia já havia qualificado e interrogado Andreano dos Santos Oliveira, José Albério Teixeira Bezerra (Buiu), Marcos Antônio Ferreira (Marcos Capeta), Edson Teodoro do Nascimento (Paulistinha), Alexandre Marcone Nunes Justino, Gilmar Barbosa da Silva e Amanda Alves da Silva. 

Concentração – Antes do início da operação, os cerca de 200 policiais, entre civis e militares, se concentraram num restaurante na entrada da cidade de Serra Branca onde foram distribuídas as áreas de atuação de cada equipe. Os policiais, entre delegados, agentes, escrivães e militares ouviram atentamente as explicações do secretário Gustavo Gominho e do coronel Wilde Monteiro, comandante da Polícia Militar.

Por volta de 4h30, o comboio saiu em direção às cidades de Sumé, Prata Monteiro e Sertânia (PE). “Foi importante a conversa que tivemos com a polícia pernambucana para agirmos na cidade daquele Estado”, disse Gominho.

A delegada Tatiana Matos disse que a ocorrência de tráfico de droga na região do Cariri levou a polícia a fazer um levantamento das áreas estava havendo maior incidência do crime e a partir das identificações foram solicitados mandados junto às comarcas de Monteiro e Sumé.

Foram expedidos 28 mandados de busca e apreensão, sendo 21 em Monteiro, seis em Prata e um em Sumé. 20 prisões temporárias – 13 Monteiro, seis Prata e uma em Sumé. Seis prisões preventivas – sendo uma em Monteiro, três em Sumé e dois em Sertânea (PE) e duas internações provisórias, ambas em Sumé.

Os mandados foram assinados pelas juízas Vanessa Andrade Dantas da Nóbrega e Alessandra Varandas, respectivamente de Monteiro e Sumé. “Estamos relatando a operação para comunicarmos as magistradas”, disse a delegada.

Pente fino – Paralelo a operação "Tarrafa de Runfo" policiais do Choque do 2º BPM de Campina Grande com policiais da Companhia de Monteiro realizaram uma ‘varredura’ na Cadeia Pública de Monteiro. Os mais de 80 detentos foram surpreendidos com a chegada dos PMs.

Nas celas, os policiais encontraram maconha, celulares, carregadores de bateria de celular, armas artesanais. O que chamou a atenção dos policiais foi a presença de um celular com um dos presos de confiança que trabalha na cozinha. A ação da polícia foi acompanhada pelo diretor da cadeia, sargento reformado da PM, João Batista da Silva. O  pente fino durou cerca de duas horas.

Ação continua – O secretário da Segurança e Defesa Social, Gustavo Gominho, considerou positiva a operação, salientando que a polícia vem realizando esse tipo de trabalho para coibir o tráfico de drogas, principalmente nas regiões que fazem divisas com os estados de Pernambuco, Ceará e Rio Grande do Norte.

No mês passado, as polícias Civil e Militar haviam realizado esse mesmo tipo de operação na região de Patos. “Vamos continuar no combate ao crime com ações dessa natureza”, disse o secretário ao garantir que mais operações serão realizadas em outras regiões do Estado.

Já o coronel Wilde Monteiro disse que, além de participação nas operações, a Polícia Militar realiza constantes blitze para evitar a entrada de drogas e armas no território paraibano. “O serviço de inteligência existente nos batalhões está fazendo levantamento para identificar os criminosos”, esclareceu o comandante geral da Polícia Militar.

TAGS

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.