Oficina Escola conclui restauração na Fazenda da Graça

A Oficina-Escola de João Pessoa e a fábrica de cimento Cimpor concluíram a restauração e a pesquisa arqueológica na Capela de Nossa Senhora da Graça, localizada na Fazenda da Graça, na capital paraibana. Com apoio do Ministério da Cultura, o trabalho foi iniciado em junho de 2009 e concluído em abril de 2011.
 
A restauração foi conduzida por diretores, coordenadores, administradores e instrutores da Oficina-Escola. Da equipe também participaram profissionais contratados exclusivamente para este trabalho: uma arquiteta, uma restauradora de bens integrados e uma fotógrafa, além de 30 alunos da Oficina-Escola e 16 ex-alunos (encarregados de obra, pedreiros, carpinteiros e auxiliares de restauração dos bens integrados). No trabalho de restauração foram investidos R$ 977.576,42.

A pesquisa arqueológica também teve início em junho de 2009. Participaram desse trabalho a direção, a coordenação e a administração da Oficina-Escola, além de profissionais contratados (um arqueólogo e uma fotógrafa), além de ex-alunos auxiliares de arqueologia.

Foram catalogados cerca de 20 mil artefatos arqueológicos, dentre os quais fragmentos de faianças (pratos, xícaras, pires, tigelas e travessas), sendo a maior parte de procedência inglesa; vidros (frascos de remédios, perfumes e bebidas); cerâmicas (tigelas, jarros e bijuzeiros); cachimbos (de origem francesa e em cerâmica), muito utilizado pelos escravos; garrafas em grés cerâmico; uma moeda de 40 réis, em cobre, do século XIX; pisos em tijoleira e pedra calcária (referentes a construções e espaços de diversos períodos da edificação e do entorno).

A partir da investigação de diversas amostras de material construtivo da Capela da Graça e da pesquisa histórica, foi possível situar a Capela na primeira metade do século XVII e descobrir algumas intervenções no século XVIII. A Capela da Graça é um registro da ocupação da Capitania Real da Parahyba, construída pelos Jesuítas e a obra enquadra-se no estilo barroco. Na pesquisa arqueológica foram investidos R$ 142.373,58.

O resgate do patrimônio histórico, cultural e arqueológico da Capela de Nossa Senhora da Graça só foi viabilizado por meio da Lei Rouanet de Incentivo Cultural, com a aprovação de dois projetos: “Restauro da Capela de Nossa Senhora da Graça” e “Pesquisa Arqueológica na Fazenda da Graça”.

A Capela da Graça, edificação que é pouco conhecida em João Pessoa, foi tombada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) em 1938. Além do resgate arquitetônico, o trabalho de pesquisa arqueológica tem como objetivo fundamentar o valor histórico desta área, que também se configura como importante sítio de preservação permanente, rico em biodiversidade e belezas naturais, além de abrigar o único ninhal de garças brancas existente na área urbana da cidade de João Pessoa.

Histórico – Criada em 1991, a Oficina-Escola de Revitalização do Patrimônio Cultural de João Pessoa tem por finalidade formar e capacitar jovens desempregados, em situação de risco social em trabalhos relacionados à reabilitação de contornos urbanos e do patrimônio cultural. Para isso, desenvolve ações pedagógicas baseadas na formação prática e teórica, em obras de restauração do patrimônio histórico e logradouros públicos, com vistas à inserção no mercado de trabalho.

A Oficina-Escola é uma Associação Civil de Direito Privado, sem fins lucrativos, com objetivos culturais e educacionais, uma entidade de utilidade pública. Localizada na Rua da Areia, no Varadouro, a Oficina-Escola já atendeu mais de 950 jovens, da população de baixa renda, na faixa etária de 18 a 25 anos.

Atualmente, encontra-se em andamento a formação da 19ª turma, composta por 60 alunos. Com a duração de dois anos, os cursos de formação compreendem a capacitação profissional relacionada à preservação do patrimônio construído e atividades voltadas para a formação integral. A Oficina-Escola oferece formação em jardinagem, marcenaria, serralharia (forja), carpintaria, alvenaria e restauração de bens móveis e integrados. O programa de formação está disponível no site www.oficinaescolajp.org.br.

A Oficina-Escola de João Pessoa já  atuou no resgate de diversos monumentos históricos e logradouros públicos, como o Antigo Hotel Globo; a Igreja de São Bento; a Bica de Tambiá (no Parque Arruda Câmara); a Igreja de N. Srª do Carmo; a Praça Dom Adauto; dois prédios na Praça Anthenor Navarro; o Coreto da Praça Venâncio Neiva (mais conhecido por Pavilhão do Chá); o Casarão de Azulejos; a Antiga Fábrica de Vinhos de Caju Tito Silva & Cia; e o Altar Mor da Igreja de São Pedro Gonçalves e da Capela da Imaculada Conceição/Aparecida-PB, entre outros.

A Oficina Escola é dirigida por Náhya Maria Lyra Cajú, arquiteta e urbanista formada pela UFPB, com especialização em Revitalização do Patrimônio Natural e Construído, pelo Instituto de Cooperación Iberoamericana – ICI/Espanha.  
 
Fazenda da Graça – A Fazenda da Graça, área de preservação permanente pertencente à Cimpor, abriga grandes tesouros em belezas naturais e biodiversidade. A Fazenda fica dentro da unidade da Cimpor na área central de João Pessoa e tem aproximadamente 400 hectares. Dentre os inúmeros atrativos da região, encontra-se a Capela da Graça.

Construída no século XVIII, a capela é um monumento tombado pelo IPHAN, Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, desde 30 de abril de 1938. A capela é um marco não só arquitetônico, mas também cultural de sua época. Todavia, o longo período de inatividade e a falta de cuidados adequados a deixaram em estado precário de conservação.

Por ser um patrimônio tombado, a capela não pode sofrer nenhuma reforma que não respeite seus elementos e suas características originais. Desta maneira, é necessária a realização de um processo especializado de restauração.

A Oficina Escola de João Pessoa, em parceria com a CIMPOR Brasil, aprovou junto ao Ministério da Cultura um projeto para a restauração da Capela da Graça e, paralelamente, outro projeto para promover a pesquisa arqueológica na Fazenda da Graça.

Graças a esse esforço conjunto, a Capela da Graça será restaurada, de modo a somar-se ao patrimônio cultural e arquitetônico da Capital, já tão rico em história e beleza. Da mesma forma, as pesquisas arqueológicas lançam sobre o passado uma nova luz para reconstituição dos primeiros passos na antiga Philipeia de Nossa Senhora das Neves.

Biodiversidade – Com o intuito de preservar a grande biodiversidade presente na Fazenda da Graça, a Cimpor, em conjunto com a UFPB – Universidade Federal da Paraíba, realizou vários trabalhos voltados à catalogação de suas espécies animais e vegetais. Um dos principais trabalhos teve como foco a caracterização dos hábitos alimentares das garças brancas, pois a Fazenda da Graça abriga o único ninhal dessa espécie existente na área urbana da Cidade de João Pessoa. Na unidade se encontra ainda o Parque das Madeiras Brasileiras.
 
Fazenda da Graça em números

82 hectares – é a área aproximada da reserva
1.500 – é o número de árvores que compõe o Parque das Madeiras Brasileiras
100 é número aproximado de espécies da flora brasileira presentes da reserva
20.000 mudas por ano – é a capacidade de produção do viveiro de mudas

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.