Odon desafia denunciantes a mostrarem contracheque de R$ 5 mil

O presidente da Ordem dos Advogados da Paraíba seccional Paraíba Odon Bezerra reagiu com indignação à divulgação de uma notícia segundo a qual ele teria um salário de R$ 5 mil relativo a um cargo ocupado na Defensoria Pública do Estado e pelo qual receberia R$ 5 mil sem prestar expediente na repartição. Ao ser questionado a respeito, Odon disse que lamentava a exposição de seu nome relacionado a essa quantia e desafiou seus críticos a provarem o tal repasse:

– Eu tenho apenas a lamentar. Acho que as pessoas quando querem fazer uma denúncia devem se cercar de cuidado para não macular a honra de quem quer que seja. Eu tive uma gratificação de R$ 5 mil quando era secretário-executivo do Procon, mas perdi em fevereiro de 2009 no governo de José Maranhão, mas fiquei à disposição da Defensoria Pública. Fui beneficiado com uma licença-prêmio porque sou funcionário público efetivo a 31 anos. Não foi um benefício gratuito, não. Não sou um vagabundo como eles estão apregoando, não. O que eles estão dizendo que eu recebo, eu garanto que não recebo. Se eles quiserem me pagar a complementação, será de bom grado. Estou de licença sem vencimentos. Quando acabou minha licença-prêmio, eu tirei outra, sem vencimentos. As pessoas querem me atingir porque sou presidente de uma instituição, porque meu irmão é político e também querem atingi-lo por tabela porque isso aconteceu na campanha da OAB e na campanha política. Isso tem sido feito sistematicamente pelo mesmo grupo. Esse cidadão não tem uma vida muito correta… é o histórico dele, segundo vieram me dizer e eu também não provo.

Finalmente, Odon negou que sua esposa, Késsia Bezerra, também tenha sido contemplada com gratificação generosa do Governo do Estado que elevaria seus vencimentos a R$ 7 mil:

– É mentira. Minha esposa não ganha esse dinheiro. Gostaria que eles colocassem isso no contracheque dela. Minha esposa tem dois vínculos com o Governo: ela é professora e psicóloga da Fundac. Querem nos jogar na lama e falam como se nós estivéssemos dilapidando o patrimônio público, mas eu sei quem está dilapidando o erário público e isso o tempo responde.

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.